domingo, 8 de janeiro de 2012

Ao lado de um livro.



Estranho é o meu desejo por textos, sem ter tocado em grandes livros. A minha vontade de escrever, se contrapõe à da maioria. Talvez por isso, eu não tenha crescido tanto nesse aspecto e utilize as letras apenas para demonstrar os meus sentimentos. Às vezes parece egocentrismo, quiçá egoísmo. A verdade é que não quero viver numa redoma de vidro. Posso desconhecer outras línguas, arranhar o português, não falar inglês ou até ter o mínimo de contato com a leitura. Não me orgulho de tal negligência. Devia ter ouvido os conselhos de mamãe desde a minha infância. Hoje estaria mais feliz, ao ler Paulo Coelho e Machado de Assis. Minha experiência é diferente. Vem da vida, das situações em que o destino me colocou. Arrisco a pensar que devido a este problema, escreva somente sobre mim. É, preciso buscar uma biblioteca e rápido. Sinto que minha ânsia de ‘mudar o mundo’ está se limitando a pequenas e meras palavras. Estou tropeçando no vocabulário e nos assuntos. Mas nunca é tarde, para correr atrás. Nunca é tarde para extrapolar, conhecer o novo, contemporizar. A dificuldade insistirá, porém o hábito pode detê-la. Não quero ler como antes. Ser uma leitora por obrigação. Quero que esta prática seja permanente e me faça viajar aos mais diversos lugares do universo. Quero gostar de folhear as páginas, e não apenas deixá-las em branco. 

6 comentários:

  1. Se ti sem ler já escreve bem, cultivando esse hábito tu vai humilhar meus textos, kkkkkk.
    Mas não esquenta a leitura se insere em qualquer idade.

    ResponderExcluir
  2. A leitura deve ser iniciada pelo prazer, nunca a faça por obrigação, descobri o prazer da leitura sozinho e já um pouco tarde, tive poucos professores que me incentivaram a isso, mas uma coisa eu lhe garanto, o que realmente vale são mesmo as experiências empíricas que são conferidas pela vivência, no entanto a literatura lhe permite fazer uma leitura diferenciada do mundo à sua volta e até de si mesma... o seu diálogo com sua própria vida se torna ainda mais rico! Ah, ai vai uma dica: Deixe o Paulo Coelho de lado...

    Confira neste artigo que postei, a minha história de leitura: http://sublimeirrealidade.blogspot.com/2011/12/minha-historia-de-leitura-qual-sua.html

    ResponderExcluir
  3. ha difernt da minha mae q quando era pekeno pedia livros e ela nao comprava rs (ainda bem q agora trabalho e ja tenho meu pequeno acervo).
    alguem me disse uma vez "o livro nao te faz intelectual", é bem verdade..mas nada como uma leitura saudavel..tambem escrevo (normalmente poesia) e vlta e meia dou uma lida em algo ate chegar ficar inspirado.
    www.moinhosdeventtoblogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Esse é o problema das escolas....te enfiam um memorias postumas de bras cubas, mas não perguntam se é isso que a juventude quer ler. Enquanto lá fora lemos literatura universal, aqui somos presos a essa nacionalidade ininterrupta.

    Deixa a mulekada ler Castanheda !

    abraço

    ResponderExcluir
  5. Bom é que você tem consciência da necessidade de ler. Você deveria procurar leituras que lhe agradem, imagino que Stephen King seria uma ótima escolha para você criar a paixão pela leitura, já que gosta de terror, pois, parafraseando o que ele mesmo disse, é tão coerente alguém que odeia assistir um jogo de futebol, querer ser jogador de futebol, quanto uma pessoa querer ser escritora sem gostar de ler.

    ResponderExcluir
  6. Voce nao lê e ja escreve assim? Caramba! Voce escreve muito bem.
    Primeira vez que vejo um escritor nao gostar de ler. kkkk'
    Parabens pelo blog, está excelente ^^

    ResponderExcluir