quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Lei de Murphy maldita.



Lei de Murphy maldita,
traga-me a sorte bendita.
De volta à maré de azar,
é onde não posso ficar.

Brigas, discussões, despedidas,
um período só de idas.
Um clamor odioso sobre mim, 
sentimento que me leva ao fim.

Acostumada a rotina do dia-a-dia,
repleta de sofrimento e agonia,
emoções que jamais pensaria
e tampouco merecia.

Lei de Murphy maldita,
leve daqui as palavras mal ditas,
devolva-me um destino bondoso,
e um caminho piedoso.

4 comentários:

  1. Oi B.!
    É, a Lei de Murphy nos atrapalha bastante às vezes. Mas eu acho que é só saber usá-la a seu favor que fica legal.
    Gostei do poema.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Adorei. principalmente por que sou uma seguidora convicta e fiel da lei de Murphy.

    ResponderExcluir
  3. Gostei do texto, acredito que essa é a lei mais verdadeira rsrsrsrs
    bjs

    ResponderExcluir