sábado, 12 de outubro de 2013

[Parte 4] Entre céu e Terra.

- Possessões

     Renata viu toda a cena, mas não sabia como reagir. Novamente, Leonardo soprou palavras em seu ouvido, para guia-la: “Pegue-a e siga na direção marcada na floresta. No fim do caminho, encontrará uma gruta e descobrirá o que deve fazer.”
     A mãe tomou sua filha nos braços, carregando-a em direção a uma estrada de terra que dava para a floresta. Seguia adiante, quando se deparou com Padre Sérgio. Era um velho barrigudo e alto que transparecia sabedoria. Com ele, estavam o diácono Fabrício e o padre Pedro.
     Pararam o carro, para que mãe e filha entrassem. Renata explicou tudo o que havia acontecido  antes deles chegarem. O grupo então seguiu por uma longa jornada, passando pela floresta.
     No meio do percurso, Márcia, que estava deitada sobre o colo da mãe, começou a acordar com momentos de delírio.  Com o passar dos minutos, a garota ficava mais agitada, alucinando e se remexendo . A mãe segurava-a com firmeza, evitando que ela se soltasse.  Contudo, ao passo que a gruta se aproximava, a inquietação da Márcia apenas aumentava.
     Em instantes, a garota estava totalmente descontrolada. Cuspia no rosto da mãe e emitia xingamentos com a sua voz maléfica. De repente, Márcia movida pelo mal, olhou para o diácono Fabrício que estava ao seu lado e iniciou um ritual de sedução.
     Fabrício ficou hipnotizado com a performance da entidade, a qual, se aproveitou da situação para apoderar do corpo do homem.  O espírito desejava levar Márcia consigo e para isso, utilizaria a força do corpo de Fabrício a fim de afastar Renata e os demais.
     Em uma fração de segundos, o corpo de Márcia desfaleceu, enquanto o diácono, agora possuído, vomitava no banco do carona. Seus olhos reviravam, seu grito era atormentado.
     De repente, Fabrício tomou o volante de Padre Sérgio, cambiando a direção e os afastando da gruta. Padre Sérgio foi arremessado pra fora do carro e bateu com a cabeça em uma pedra. Atordoado, padre Pedro saiu de seu assento para ajuda-lo.
     Renata ainda permanecia no banco de trás com Márcia. O diácono possuído pelo espírito percebeu a fragilidade das duas e rapidamente se locomoveu para perto da mãe, colocando as mãos em seu pescoço na tentativa de estrangula-la. Márcia, ainda meio tonta, conseguiu alcançar o extintor que estava dentro do carro e bateu contra a cabeça de Fabrício, fazendo-o soltar Renata.
     Posteriormente, Márcia deitou a mãe na grama, para auxiliar na sua respiração. No entanto, Fabrício logo se recuperou e acelerando o carro, avançou, na direção das duas.
     Leonardo impossibilitado de descer à Terra, devido à instabilidade entre as dimensões, acompanhava do alto tudo o que ocorria. No instante em que viu o carro se aproximar, lançou um trovão para cortar a árvore mais próxima, bloqueando a passagem do veículo. 

5 comentários:

  1. B, nessa parte do conto as forças do mal viceja. Intensa parte. Bjos.

    ResponderExcluir
  2. Bah, cada vez melhor, B.! Parabéns!

    Beijos.
    www.dilemascotidianos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Esta tua série dá um filme de terror.
    Obrigado pelos comentários no meu blogue.
    Sempre serás bem vinda,

    ResponderExcluir
  4. B.
    Que triller intenso é esse!
    Divulgue mais, tem alguns grupos no facebook que falam muito sobre temas assim, eu tenho um pouquinho de medo rsrs
    Mas você escreve muito bem. Parabéns.

    e obrigada pela visita, sim é uma realidade dura que chama muita a atenção para o que as pessoas fazem com suas vidas..:/
    http://rob-umarosaazul.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Cheguei aqui agora li essa parte e tive que ler as outras. Um coisa me deixou curiosa, o que será que a Márcia tem que é tão desejada pelo mal? O que será que vai acontecer afinal? Fiquei bem curiosa.

    Beijos.
    eraoutravezamor.blogspot.com

    ResponderExcluir