segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

A complexidade do complexo.


    Eu não me atrevo a discutir sobre esse assunto, mas me instigaram e agora gostaria de expor minha opinião. Eu sempre travo quando é pra escrever sobre o amor, em si, o sentimento. Claro que escrever pra ‘pessoa amada’ é algo fácil, pois é uma forma de transparecer o que vc sente e eu já o fiz inúmeras vezes, mas nem todas elas valeram a pena.
    O amor é algo incompreensível, confuso, indescritível, é algo que está além das nossas vias racionais. A verdade é que este encontra-se no sensível. Ele não tem cor, forma, cheiro, raça, religião, opção sexual ou qualquer outro tipo de ‘entrave’. Portanto não podemos definí-lo e dizer que o amor é assim e pronto. Cada um tem uma percepção diferente do mesmo. Nós nascemos diferentes e não seria em um sentimento tão lindo, que entraríamos em um consenso. Cada um tem a sua opinião, seus ideais, pensamentos e caráter. Depende de toda esta gama de opções.
    É o sentimento invisível aos nossos olhos e que abrange todo o nosso coração. Ouvi hj, que o amor existe, mas que não somos bons o suficiente para sentí-lo. Pois bem, vamos lá. Acredito que Deus nos proporcionou o maior dos sentimentos quando criou Adão e Eva. De fato, nós o corrompemos com o pecado original, o que fez o egoísmo nascer com o ser humano a partir de aquele dia. Hoje, como meros mortais, em um mundo tão bizarro, por mais pessimista que eu seja, ainda acredito que possa existir amor entre duas pessoas desconhecidas, mesmo que tudo esteja banalizado atualmente. Acho que o amor não escolhe idade, nem hora, nem tempo pra acontecer. Afinal é Deus quem coloca-o em nosso caminho. Porém quando necessário Ele também o tira. Tudo é um propósito do Senhor. Sim, eu tive que colocar meu ideal cristão nesse texto, pq é apenas a partir dele, que consigo pensar algo definido.
  Ouço as pessoas dizerem que o amor é eterno e que amamos apenas uma vez na vida. Acredito que não. Vou exemplificar. Pensemos que um casal tenha 50 anos de casado e que pelo chamado de Deus, o marido morre. A mulher o ama completamente, sofre, chora, mas com o passar do tempo, precisa se desvincular a essa dor que a corrói, porque se não, também perde o sentido da vida, sendo que sua hora ainda não chegou. Assim, em um dia qualquer, ela sai de casa, conhece outro homem e apaixona-se. Começa a deixar a dor de lado e encontrar nesse homem uma ‘reconstrução’ de seu coração. Passa a amá-lo, mas mesmo assim, parte do que nela habita são lembranças do seu amor que se foi. Não digo que ela ame os dois ao mesmo tempo, porque tenho em mente que isso é humanamente impossível, pela imensidão desse sentimento. No entanto, acredito que parte dela ama este novo homem e é feliz com ele. A outra parte é destinada ao seu casamento de 50 anos, mas ela fica ‘adormecida’.
  Então acredito que sim, podemos amar mais de uma pessoa, ao longo de nossa vida. O amor entre um homem e uma mulher, só pode ser eterno aos olhos de Deus, pois como diz na Bíblia quando Ele voltar, haverá o julgamento e depois desse julgamento tudo será apagado de nossas mentes.
  Agora entrando em outro contexto. Queria comentar a idéia que minha amiga me mostrou, comprovando que sim é um amor de verdade. Uma jovem bela, com sorrisos e com um namorado que a ama. De repente, as coisas mudam. Ela torna-se frágil, fraca, com um semblante triste, de cabelos raspados e diagnosticada com câncer. Mesmo assim, o namorado não sai do lado dela, permanece ali, dando força e amando-a incondicionalmente, talvez até mais que antes. Sim, isso é um amor verdadeiro. Mas e se chegar a hora dela partir? O que será feito do jovem namorado? Ele viverá eternamente, sem amor e sem ninguém? Ou ele deve tirar a sua vida, por ter perdido a amada? Acho que deve e pode amar novamente, precisa seguir em frente, mas com recordações boas e inapagáveis do que passou. É a mesma questão apontada anteriormente.
  Resumindo? Somos insuficientes e egoístas sim! Mas o amor não é impossível de acontecer. E não são só nessas situações de perdas que ele acontece. Ele pode acontecer uma, duas, três ou milhões de vezes com o mesmo indivíduo, só não podemos julgá-lo e dizer que não é amor, porque é apenas ele que está sentindo.  Por isso te digo, que garotas (os) de 17 anos, como eu, por mais jovens que sejam, podem amar sim. Tudo bem que um 'eu te amo' do século 21, é dito da noite pro dia, sem sentimento, mas nem todos são assim.
  Não gosto de acreditar em frases sobre o amor. Pra mim, há muitas contradições nelas. Mas se tem uma que eu compactuo é essa “Aprendi que amar não significa estar junto, mas sim querer ver a pessoa feliz , mesmo que isso custe a sua felicidade.” E talvez essas sejam as palavras menos errôneas sobre este vasto sentimento, na minha opinião. Acho que o amor é mais que ser feliz, é deixar o outro feliz. É vê-lo feliz, mesmo que seja com outra pessoa. É abrir mão da sua felicidade, pra que ele construa a dele. Por isso às vezes é melhor deixar a pessoa ir embora e acreditar que um dia ela volte. Se voltar, é um amor verdadeiro. Há tantos reencontros nesse contexto, tantas pessoas felizes, que fizeram do tempo o seu melhor amigo. Sinto que precisamos aprender mais sobre isso.
  Quero levantar uma questão que está em minha mente há algumas horas. Acredito na existência de um intermediário entre o amor e a paixão. Acredito que a paixão não dure muito tempo e que às vezes o amor também não, mas depende da intensidade com que ele vem.
  O amor é abrangente, vago e único demais, para ser compreendido. Nenhum ser humano em sã consciência será capaz de fazê-lo. Se pensarmos sobre o assunto, entraremos na loucura. Portanto, apenas sinta e certifique-se de que é sincero.




4 comentários:

  1. O amor está ao alcance de todos. É fato.
    Resta-nos conhecê-lo e apreendê-lo da forma correta, que é única na sua essência e livre de rótulos e conveniências materiais e físicas. Enquanto isso não se der, o amor terá sempre essa imagem de algo ilusório, instável e até mesmo destruidor.

    ResponderExcluir
  2. O amor é banalizado atualmente porque o ser humano está sendo banalizado da mesma forma...

    Pessoas matam, morrem, dirigem embriagadas, passam fome, traem, estupram...

    Se o homem perdeu o próprio valor, impossível valorizar também um sentimento. Por isso afirma "eu te amo" da boca pra fora...

    Mas sempre há exceções, que bom! E como o amor é algo que transborda, que não se mede, que atinge os outros, não entendo esse pensamento egoísta de que só se pode amar uma pessoa ao longo da vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com tudo. Foi isso que eu tentei passar no texto. Vc entendeu bem a ideia. E adorei seu comentário. Obrigada.

      Excluir
  3. Tu diz que escrever para a pessoa amada é simples, mas afinal será que realmente é tão simples assim?
    Durante muito tempo, eu sempre procurei me esquivar desse tipo de pergunta, e confesso que essa escuridão foi muito mais complexa que um simples detalhar.
    Amor.
    Ah como é difícil descrever isso.
    Dizem que se passou, não foi amor, então seguindo essas palavras, será que é possível poder potencializar algo tão nobre?
    Creio que não, já que substancialmente, amor é algo muito mais complexo que as fracas palavras, e mais elementarmente ainda que qualquer formula considerada complexa.
    Amor.
    Eu não tenho tanta coragem de descreve-lo, já que é um sentimento que me assola e muito.
    Já tentei algumas vezes, mas sempre fugindo do verdadeiro contexto.
    Amar, será que você pode dizer que já amou Bia?
    Será que eu também tenho esse direito?
    Será que somos suficientemente capazes de amar.
    E se não, como fazê-lo?
    Adorei esse seu trecho:
    “Não gosto de acreditar em frases sobre o amor. Pra mim, há muitas contradições nelas. Mas se tem uma que eu compactuo é essa “Aprendi que amar não significa estar junto, mas sim querer ver a pessoa feliz , mesmo que isso custe a sua felicidade.” E talvez essas sejam as palavras menos errôneas sobre este vasto sentimento, na minha opinião. Acho que o amor é mais que ser feliz, é deixar o outro feliz. É vê-lo feliz, mesmo que seja com outra pessoa. É abrir mão da sua felicidade, pra que ele construa a dele. Por isso às vezes é melhor deixar a pessoa ir embora e acreditar que um dia ela volte. Se voltar, é um amor verdadeiro. Há tantos reencontros nesse contexto, tantas pessoas felizes, que fizeram do tempo o seu melhor amigo. Sinto que precisamos aprender mais sobre isso.”
    Nele me identifico muito, já que aprendi com o passar dos dias, que a felicidade da pessoa que você realmente gosta é muito maior que a sua.
    Afinal, qual seria o propósito de você estar feliz se a pessoa que você tanto anseia essa felicidade está mal?
    Qual o verdadeiro significado de tudo isso?
    Enfim.
    Amor, é algo que eu deixo intocável.
    Não sei se já amei, mas confesso que já senti coisas que creio que não seja eu capaz de sentir mais que isso.
    Afinal, amar é isso.
    Ponto final.

    ResponderExcluir