domingo, 5 de fevereiro de 2012

Entre razão e emoção.


      Há um tempo atrás, estava atualizando a leitura de meus blogs favoritos, até chegar em um texto muito interessante do meu amigo Morini. Parece que aquelas palavras, soaram como melodias em meus ouvidos. Eu não apenas li, mas senti cada letra. Era uma manhã tediosa e obtive a inspiração.
     Demorei bastante a escrever, pois além de me faltar coragem, ainda existia um bloqueio emocional. Pois bem, agora é a hora.
      Acho que não fui e nem serei a última menina a ser magoada pelo seu ‘príncipe’ né? Príncipes que são idealizados em nossos sonhos, mas que estão longe, muito longe de serem encontrados na vida real.
      A sociedade é machista o bastante para criar ‘máquinas de partir corações’. O fato é que desde pequeno o bacurizinho é orgulho do pai, ao dizer que tem uma namoradinha de 5 anos. Nessa idade, que eles já são estimulados a tomar conta de sua ‘casa’. Sim, as meninas brincam de casinha, encostadas em fogões e os meninos fingem ir ao escritório, voltando no fim do dia. São incentivos ‘bobos’, mas que, em crianças, tem um grande resultado. Certa vez me deliciei com um livro sobre a teoria Freudiana e, nele, esses passos para a busca da sexualidade era evidente.
      Somos encaixados em uma sociedade limitada. Os meninos crescem, tornam-se rapazes, no entanto, carregam com eles as idéias inseridas em sua mente desde aqueles 5 anos. É, óbvio que nessa idade, está muito cedo pra formar a personalidade, mas acredite essas situações na infância influenciam. É como alguma pessoa que tem traumas quando criança, eles ficam guardados pelo nosso subconsciente mas a noção está sempre presente ali. É o nosso instinto. Assim, mais dia, menos dia, ele irá aflorar, como um machismo que aparece na maior parte dos homens.
     Tornam-se jovens, aos 13/14 anos. Pedem para sair e se sentem os donos do mundo. Tem aquela frase que me incomoda bastante (embora eu não tenha sofrido com essa argumentação): ‘Vc não vai sair, pq seu irmão é homem e ele pode. Homem é diferente.’ Deve ser uma  facada de emoção em uma menina de 15 anos, que não consegue entender pq seu irmão de 13, pode sair e ela não.
     Deixando a parte psicológica do texto e partindo para a emocional, digo que perdi muitas das minhas esperanças nos homens. Eu desde muito nova, fui criada entre os adultos, sem crianças e isso me ajudou a amadurecer mais rápido, como acontece hoje. Eu tinha uns 9 anos e me apaixonei pelo primeiro menino. Era da escola e tudo mais. Coisa de criança, mas como foi dito anteriormente, que deixa marcas. Os guris me chamavam de ‘feia’ e ele foi na onda dos amigos, como acontece até hj, com marmanjos de 20 anos. Parece que está tudo interligado.
      Sucessivamente foram acontecendo ‘relacionamentos’ do tipo e eu fui perdendo a confiança. Até chegar a vez em que fui trocada. Foi a gota d’água pra mim. A partir deste dia, eu disse que seria uma nova mulher e de fato, foi o que aconteceu e ainda está em vigor, atualmente.
      Tomei um ‘banho’ de realidade. Não caio mais nas conversas, não acredito que digam a verdade e muito menos que possam me amar, digo no meu caso. Até pq tenho teorias próprias ao redor disso, e generalizando, penso que a maioria dos homens olham só o externo.
     Honestamente, não tenho aquela perspectiva de formar uma família mais. Acho que a família do século 21, é rara e não dura pra sempre. Ora por traições, ora por agressões e não afinidades. De ambos os lados, é claro.
      E então leio ‘Ideal e perfeito’ do blog ‘Um Livro Qualquer’ e percebo que há homens que valem a pena, que sentem verdadeiramente ou pelo menos, conseguem me passar emoção. Mas o medo de ser magoada, é relevante. Talvez não esteja tudo perdido, talvez ainda reste um pedacinho de esperança. 

12 comentários:

  1. Com certeza não "Acho que não fui e nem serei a última menina a ser magoada pelo seu ‘príncipe’ né? " rs.
    Bom encontrar uma blogueira que também faz psicologia. Impressão minha ou senti um certo remorso nas suas palavras? Essas questões amorosas sempre são tão difícil de lidar - ainda mais quando você tem historias mal resolvidas nessa questão, como eu no caso -. Complicado tentar ajudar outra pessoa quando você esta em processo 'quase' semelhante.
    Só acredito que há esperança sim, só não para nós (como diria Kafka, rs)
    beijos moça
    ps: primeira vez que passo por aqui, desculpa se fui muito direta pra primeira impressão..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É totalmente complicado e depende de cada pessoa. É uma diversidade tremenda, inclusive de sentimentos, pensamentos e ideais. No meu caso, me tornei racional e só consigo ver desta maneira, por enquanto. Mas quem sabe algum guri consiga mudar minha opinião, rs.
      Vou começar esse ano a universidade. Na verdade, recebi a resposta hj. Psicologia é um sonho, é o meu sonho *-*
      Obrigada pela visita. Volte mais vezes.

      Excluir
  2. É claro que certas marcas nos transformam. Todas as experiências nos forjam. Mas nem por isso podemos considerar todas as transformações como positivas e evolutivas. Julgar e condenar todos os homens por uma meia dúzia que você conheceu e lhe machucou, não confiar mais em nenhum, não relaxar mais nos braços de ninguém... e por um pouco mais, não acreditar mais no amor dos outros -nesse sentido- é na verdade uma autopunição. Acho isso um preço alto demais pra quem nasceu pra ser feliz. Ou você não acredita nisso também?
    Pé atrás sim, mas pensar que todo mundo que se aproximar de você lhe apunhará pelas costas? É demais... Salvo se você já tivesse mais de 80 anos e incansáveis tentativas de encontrar alguém que valesse...
    E outra: o pior machismo é o feminino. Tem gente que não vê lógica nisso, tem quem ria até, mas sei do que falo. E como seres humanos que somos, na maioria das vezes de personalidade (pseudo)forte, buscamos a autoafirmação e a aceitação dos que nos envolvem e abrimos mão da nossa própria felicidade.
    Tem também quem se justifique atrás do próprio dedo-podre, atrás da expectativa monstruosa, da carência excessiva, da fragilidade desregulada... Veja bem: maturidade cedo demais não elimina nenhum desses riscos e males.
    Já magoei, já feri, mas também já me arrependi demais. Talvez não tenha amado ainda, mas fui amado e pelo menos, fiz feliz.
    Esse seu post engloba muitas coisas, muitas considerações e não dá pra simplesmente "comentar"...rs Por isso, me desculpe o tamanho do comentário.
    Beijo grande!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, eu concordo. É um assunto muito abrangente. Por isso no fim eu disse que talvez ainda haja uma esperança, pq todo mundo tem a sua hora certa. Mas, foi mais um desabafo mesmo e uma visão 'generalizada' do que penso, do que me envolveu. E é claro que há exceções, sinto que o meu amigo inspirador do post, é uma delas.

      Excluir
  3. Quando eu comecei a escrever aqui, notei que minha "resposta" seria muito grande para uma mensagem. rs então resolvi fazer mais um texto. Acabei de escrevê-lo.
    Fiquei muito feliz por você compartilhar sua visão, baseada no meu texto. Muito feliz mesmo. Escrever é algo tão solitário, tão pessoal, que eu esqueço que outras pessoas leem aquilo que escrevo. E é muito gratificante ter um retorno, ainda mais, de alguém que escreve indiscutivelmente melhor.
    Sempre quis ter alguém com quem trocar opiniões por cartas, mesmo que fossem cartas "online" e abertas, o que, as torna muito mais empolgantes. =)

    ResponderExcluir
  4. Se fosse alguma amiga minha eu diria "vira lésbica", mas não vou te trollar. rs

    Creio que seres humanos, incluindo homens, sempre merecem um olhar mais cauteloso. Em todo lugar existem pessoas que vão te magoar, enquanto algumas te farão feliz.

    A rotina da tentativa até se achar alguém que encaixe é doída e a gente até fica desmotivado em algum ponto, mas não perca as esperanças. Apesar dos pesares, eu ainda acredito no amor.

    ResponderExcluir
  5. Se te serve de consolo, vc não é a primeira nem unica que sofre ao ver no seu principe um verdadeiro sapo. Mas isso faz arte da vida, e dai a gente aprende e cresce nossos valores, deixando de lado certas bobagens e levando em conta o essencial de uma pessoa!Parabéns pelo blog, to seguindo! :)
    http://robertameyce.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai ai, o verdadeiro comentário, eu preciso fazer com vc on Line e com tempo.
      é Meio pessoal, mas abaixo o que eu posso divulgar Bia.

      Excluir
  6. Nunca acreditei em pessoas perfeitas, sempre achei isso uma utopia idiota.
    Odeio a perfeição, porque ela é monótona demais para os meus devaneios malucos, se um dia eu encontrar (impossível) alguém perfeito, vou ficar com tanto ódio que vou socar a cara dele até o olho ir parar na boca.
    Sabe por que? Porque quem busca a perfeição é estúpido, porque a perfeição é uma série de concepções idealizadas pela sociedade, fato esse que torna ela uma perfeita idiota, já que conseguiu esquecer tudo que tem dentro de si e virou um escravo social.
    Acho isso uma bela merda, sim, uma grande merda.
    Mas voltando ao seu post, eu acho que você está desiludida com esse mundo filho da puta, e é complicado, sabe.
    Eu tenho tanto ódio do mundo e das pessoas, que muitas vezes eu tenho vontade de sumir e nunca mais voltar, mas afinal, sumir pra onde?
    Será que vai ter algum lugar que poderei viver em paz? Creio que não, já que se eu abaixar a cabeça pra essa cambada do caralho, vou estar sendo covarde.
    É foda, sim é foda.
    Na escolha do meu curso superior, confesso que enfrentei muita coisa por ter “escolhido” História, só que quando eu estava feliz comigo, eu não tava nem ai.
    Só que ai veio uma coisa doida na minha cabeça, e vi que tinha que fazer algo, talvez mudar um pouco, é lógico que só um porra dum curso superior não mudaria nada, mas as pessoas e o novo, faria algo de bom de mim.
    Eu tento me entrelaçar com a pessoa A, só que essa pessoa não me da o devido valor, acho que no fim, todas as minhas escolhas derivam dessa decepção.
    Mas ainda existe esperança, creio que conhecerei alguém bom para mim.
    E você merece isso Bia, ( ta, falei só de mim oO), sério, você merece tudo de bom, e achará o seu “Príncipe”, não importe onde, você encontrará alguém que te entenda.
    Que entenda e não aceite (já que nesse mundo de bosta, as pessoas acham que aceitar é o suficiente), mas é isso ai.
    Vai dar tudo certo, e se não dar, a gente faz dar UHU!

    ResponderExcluir
  7. no "Que entenda e não aceite", quis dizer "Que entenda, e não somente aceite"

    ResponderExcluir
  8. Uma vez minha melhor amiga me disse para tentar deixar o passado de lado para conseguir enxergar o q de bom estava acontecendo no presente. Não pense nas pessoas q te magoaram e sim nas que precisam do teu sorriso.

    ResponderExcluir
  9. adorei seu texto,nos mulheres temos q saber nos preservar e valorizar,mas nunca perder fe no amor,e tao bom se apaixonar,meu ultimo relacionamento foi terrivel,sofri feito louca e ainda doi,mas ainda sim foi intenso e emocionante e valeu a pena!bjss

    ResponderExcluir