sábado, 30 de novembro de 2013

A irracionalidade humana.


    Diariamente, vemos uma infinidade de notícias sobre pessoas que são assassinadas repentinamente ou em ocasiões corriqueiras, por motivos “bobos”. É claro que não existe nenhuma justificativa para tirar a vida de alguém, porque isso não cabe a nós, mas os crimes que mais me chocam são aqueles que denotam a desumanidade do próprio homem.
    O ser humano movido pelos seus instintos, desconsidera o outro e perde totalmente o seu raciocínio. Nesses casos, passamos a ter a condição de “animais”.
    A impulsividade pode gerar consequências desastrosas, pois a partir do primeiro ato instintivo, outros serão desencadeados de forma desenfreada. Pois bem, exemplificarei o que quero dizer.
    Há um tempo atrás ocorreu um assassinato em Goiânia que teve seu início devido à reclamação do cliente na demora do preparo da pizza. Então, o cliente discutiu com o dono do estabelecimento e não queria pagar mais pelo serviço.
     No dia seguinte, o cliente voltou ao local, levando suas duas filhas com ele, para conversar com o dono da pizzaria, a fim de colocar tudo em pratos limpos. O cliente estava na defensiva, com uma atitude pacífica. Contudo as câmeras de segurança demonstraram um comportamento “agressivo” por parte do dono da pizzaria. Por fim, este último, saiu de trás do seu balcão, encurtando a distância entre os dois. As filhas do cliente tentaram apartar a briga e em um instante de total irracionalidade o dono do estabelecimento, sacou sua arma e disparou, enquanto todos corriam. Um desses tiros, acertou a filha mais nova do cliente. A menina permaneceu na UTI por um tempo, mas veio à óbito.
     Em meio a esta situação, percebo o quanto a impulsividade do ser humano, o domina quando está em seu ápice. Parece que a o impulso, é um “motor” para realizar uma ação impensada como a que foi expressa. E o curioso, é que isto ocorre com mais frequência do que imaginamos, no entanto, ficamos tão perplexos perante a notícia que esquecemos de analisar os trâmites da cena.
     O fato é que atos impulsivos como tal, precisam ser controlados. Ou se não, vidas serão destruídas. E neste caso, não digo apenas a vida da vítima, mas também, do sujeito impulsivo. A verdade é que ambos saem perdendo.
     Portanto, sou a favor de que cada pessoa descubra a maneira de conter sua ira. É necessário que deixemos de ser regidos pelo instinto. É necessário pôr fim aos riscos para si mesmo e para o seu próximo. Precisamos nos perceber e agir como seres humanos e jamais perder essa dignidade.

Obs:  Texto escrito em Julho. O relato do assassinato na pizzaria, ocorreu naquela época. 

6 comentários:

  1. Onde eu moro já vi gente matando por causa de uma pipa. O homem sempre é surpreendente e a maioria das vezes é para o lado ruim do termo.

    ResponderExcluir
  2. Bia, vivemos em uma sociedade onde tudo é banalizado. A banalização da violência é um dos fatores para não temermos a justiça dos homens e despreza a justiça divina.

    ResponderExcluir
  3. Há muito que a vida está banalizada.
    A impunidade é tão grande que matam por qualquer coisinha.
    E quando são presos, cumprem a pena e saem em 8 a 10 anos por bom comportamento enquanto a família da pessoa que se foi fica condenada para o resto da vida na dor.
    Infelizmente.

    ResponderExcluir
  4. O ser humano realmente é capaz de cometer atrocidades inomináveis. Às vezes irracionalmente. Outras tantas, o que talvez seja pior, racionalmente.

    Excelente texto, B.

    Beijos.
    www.dilemascotidianos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Lembro de ter visto esse tiro espetacularizado na Globo. Realmente bárbaro. De qualquer forma, não creio que devamos deixar nossos instintos de lado em prol da razão. Pelo contrário, a razão é uma ótima auxiliar para a intuição.

    ResponderExcluir
  6. B. tudo bem?
    Menina, sim, me lembro desse assassinato. Inacreditável! E como este fato, muitos e muitos outros ocorrem, por motivos torpes. Uma ou mais vidas têm seu fim... Excelente que você tenha colocado em texto essa questão, e acredito que muitas vezes o assassino sequer tem problemas mentais, depressivos ou sei lá o quê... diagnosticados, mas com certeza, um descontrole animalesco para chegar a um ponto desses...

    Beijos e ótimo fim de semana!

    ResponderExcluir