sábado, 22 de junho de 2013

[Parte 1] O mistério da vizinhança.



     Estávamos nos direcionando à nossa nova habitação. Papai e mamãe alugaram uma residência menor para morarmos. Embora eu sentisse uma dor ao deixar toda uma vida para trás, os amigos e a família, tinha consciência que  o clima de recessão assolava o país, e por este motivo, fomos obrigados a nos mudar antes que hipotecassem o velho casarão.
     Papai estacionou o seu Gol 2001 em frente à garagem da casa, para que descêssemos.  Mirei àquelas residências ao redor da nossa e fiquei perplexa ao observar que eram divididas apenas por uma parede baixa , que nem mesmo assemelhava-se a um muro. Parecia que compartilharíamos nossa intimidade com aquelas pessoas que nos fitavam com olhares curiosos.
     Éramos o centro da atenção. Posteriormente, soube que há muito ninguém habitava aquela casa de madeira. Além disso, a vizinhança era de longa data e por isso, éramos tidos como estranhos.
     Os dias se passavam e nenhum habitante havia nos dirigido uma palavra sequer. Nós ficamos desconfiados com tal comportamento, afinal, na antiga casa formaram-se estreitos laços de amizade, os quais, duraram anos.
     Acabavam-se os meses e a situação permanecia  a mesma. Começamos a nos sentir tão isolados, a ponto de não ficarmos muito tempo dentro da habitação. Contudo, essa história mudaria, em um dia chuvoso de inverno.
     Certa vez, cancelaram as aulas em minha escola, devido à enxurrada que caiu na região, impossibilitando qualquer tipo de trânsito. Nesta tarde, tive que ficar sozinha na casa de madeira. Sem amigos, a única opção que me restava era grudar os olhos na TV. Foi o que fiz.
     Estava assistindo a uma comedia romântica quando bateram na porta. Dei um pulo no sofá e fiquei espantada, pois não conhecia ninguém ali. Ficava me perguntando quem poderia ser.
     Durante a minha divagação, bateram na porta pela segunda vez. Com receio, resolvi abrir. Três vizinhos, entraram porta à frente e se aproximaram de mim. Antes que eu pudesse reagir, dois deles seguraram meus braços e me amarraram em uma cadeira.
     Feito isso, abriram passagem para uma menina adolescente. Os olhos dela eram negros e vazios. Sua boca retorcida demonstrava um ódio mortal. Portava trajes pretos e olheiras roxas. A frieza da garota era perceptível, até mesmo de longe. Seu tom sombrio estremeceu meu corpo.

12 comentários:

  1. Se isso fosse um filme, eu não assistiria nem a pau. rs
    Medo aqui...
    Vou esperar acabar pra comentar tudo de uma vez.
    Só uma observação: acho que você iria gostar de ler Agatha Christie.

    ResponderExcluir
  2. Hum, mistério de um thriller que vem por aí. Gostei B., é o tipo de leitura que eu gosto. Percebo uma evolução no seu modo de escrever. Bjos e bom domingo.

    ResponderExcluir
  3. Adoro contos com temática sombria, e aguardo ansiosamente pela continuação deste. Aliás, você tem muito talento para narração de estórias, deveria explorá-lo mais aqui no blog! Beijos =*

    ResponderExcluir
  4. Bah! Até eu fiquei com medo.
    E a outra parte quando vem?
    Não judia da gente B. rss
    Beijo;

    ResponderExcluir
  5. Nossa, muito bom, B.! Ficarei esperando ansiosamente pelos desdobramento.

    Beijos.
    www.dilemascotidianos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Oi B., respondendo as suas perguntas em meu blog.
    O capitalismo sempre nos governará, pois quem governa é o mercado.
    Qto a inspiração para escrever vem de muita leitura, e ela surge repentinamente. Como minha esposa é espírita e eu leio os seus livros, tenho um pouco de conhecimento da Doutrina espírita. É isso, boa noite e um bom finde.

    ResponderExcluir
  7. cara, li esse texto de madrugada e confesso que imaginei toda a cena e deu medo, se isso fosse um filme eu com certeza nunca assistiria sozinha!!!

    ResponderExcluir
  8. Uia, o último parágrafo foi de arrepiar hein. Essa adolescente me lembrou a Samara d'O Chamado. Já estou curioso pra continuação.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Tudo bem?
    Esta história promete! Tem todos os ingredientes de bom preparo! Bem descrita, personagem protagonista bem definida e o suspense que pelo visto vai ser o foco central do conflito. Gostei! Promete mesmo!

    Grande beijo e ótimos dias!

    ResponderExcluir
  10. Gentemmmm quero saber o resto logo kkk, adorei me pegou isso sim que é escrever....

    ResponderExcluir
  11. Uau! Começou bem! Adoro quando o conto é dividido em partes e nos prende de forma que mal podemos esperar pela próxima atualização!

    ResponderExcluir