sábado, 4 de maio de 2013

1 - Sobre relacionamentos.



     As incompreensões expressas neste post não têm fundamento pessoal, mas sim, alheio. Como esta blogueira que aqui escreve, nunca teve a experiência de um relacionamento sério, está baseando-se  na observação das relações de seus amigos e pessoas próximas. Pois bem, aí vai a lista das 6 coisas que eu não entendo sobre relacionamentos.

1) Traição: Bom, se um lado do casal quer trair, por que não terminar o relacionamento antes? Por que não evitar um sofrimento maior ao outro? Afinal, segundo o que é exigido em nossa cultura, ser traído é motivo de piadas, o que pode gerar uma baixa autoestima , como também, a humilhação perante aos que nos rodeiam.
E se você conheceu o seu parceiro (a), quando este estava com outra pessoa e a traiu, para ficar contigo, o que garante que ele(a)  também não te trairá? Se o relacionamento surgiu de uma traição.
Outra aspecto que envolve o tema é: se você quer curtir a sua vida, pegar geral, por que cargas de água começa um namoro?

2) Amigos: Quando se tem um amigo(a) que é de longa data, anterior ao relacionamento, e o seu parceiro(a) pede pra que você deixe de falar com este. Por que você precisa deixar de falar, devido aos ciúmes do outro? Se a amizade é saudável, se não há motivos, nem brincadeiras ( é claro, que se a situação for incômoda, aí o cenário muda).  O que quero dizer, é que uma amizade vale muito mais do que um namoro e isso é fato. Perder um amigo, devido ao ciúme de seu namorado (a), pode causar arrependimentos futuros (se não for tarde demais, não é mesmo?).
O pior é a transformação  que ocorre nas amizades, após um início de namoro. Grande parte das pessoas que ingressam em um relacionamento costuma mudar sua postura com seus amigos. A atenção, o tempo, a diversão, às vezes ficam restritos ao namorado (a).  E assim, o ambiente torna-se propício, para o afastamento de seus amigos.
Se estás namorando, isso não significa que a sua vida agora é exclusiva de seu parceiro(a). Afinal é possível dividir e separar os momentos, entre seus amigos e seu namorado (a).

3) Controle: Dentre os assuntos que citei, o que mais me intriga é o controle. Controle de um lado sobre o outro, ou, até mesmo, de ambos os lados.
Então, você começa a se relacionar com alguém e esta pessoa, passa a querer controlar tudo o que está à sua volta e que envolve você. Suas roupas, seu jeito, seu gosto, seus amigos, tudo é motivo para ele (a) te regular.
Se você vai ao supermercado do lado de sua casa, você precisa ligar avisando seu namorado (a).  Se você for comprar uma calça nova, precisa pedir a opinião de seu namorado e se ele não gostar daquela que você gostou, acaba cedendo ao gosto dele. Se você compra um presente pra um amigo, ele(a) interfere. E assim, por diante.
A questão é que com o tempo, isso se torna uma verdadeira possessão. Ambos os lados, perdem a sua individualidade e julgam ser um só. E se um dia acabar, qual será a saída?

4) Difamação: Algo que eu acho muito interessante é a difamação pós-relacionamento. A pessoa namora, passa boa parte de seu tempo com o parceiro(a), diz que ama, faz mil declarações, no entanto, quando o relacionamento chega ao fim, começa a inventar mentiras, distorcer os fatos e expõe os defeitos do ex para meio mundo. Nem parece, que era aquele amor todo há um tempo atrás. Penso que este tipo de atitude tem nome e sobrenome: dor de cotovelo.
Acredito que quando se coloca o ponto final, mesmo que de maneira brusca, temos que guardar as lembranças positivas, pois as mágoas precisam ficar no passado e a vida seguir em frente.

5) Rompimento: Uma questão importante, é o comportamento de alguns ex's, após a ruptura. Enquanto, um dos lados, está seguindo a vida, conhecendo novas pessoas e construindo um novo relacionamento, o outro lado não aceita a separação. E então o ex fica te perseguindo, cobrando explicações e te impossibilitando de recomeçar.  Bom, isto pode levar a uma situação bem mais séria, como casos de homicídio, agressões e afins. Mas não entrarei em detalhes.
O que importa, é encarar o fim como uma possibilidade de escrever uma nova história, consertar os erros e defeitos. O que importa é o aprendizado, o que fica são as  boas recordações.

6) Relacionamento “chiclete”: Definitivamente, acredito que relacionamento de idas e voltas, prejudica ambas as partes. Causa desgaste, desamor e muitas angústias. Se você quer terminar, pense duas vezes, mas tenha a certeza de sua escolha. Pode até ter uma segunda chance, contudo, a meu ver, ir além da segunda, já é insistir no mesmo erro. Sem contar, que a outra pessoa pensa que te tem na mão e que você sempre voltará pra ela, independente do que aconteça. 
     Enfim, galera essa foi a primeira parte da série "coisas que não entendo". Talvez quando experimentar meu primeiro relacionamento, a opinião mude. E então, se cambiar, relatarei para vocês.

9 comentários:

  1. Envolver-se com alguém vai além de quaisquer manuais, mas seu post levanta questões muito relevantes com relação ao respeito à individualidade. Muito legal, B. :D

    ResponderExcluir
  2. Já tive dois relacionamentos e minha opinião continua igual à sua, em todos os aspectos. Antes de iniciar um namoro eu sempre converso com o cara e mando a real: olha, comigo vc não vai controlar o que visto nem pra onde vou, não vai sobre hipótese alguma me mandar escolher entre meus amigos e você (pq com certeza escolherei eles) e quando termina é uma vez só, não suporto casais que ficam terminando e voltando o tempo inteiro.

    www.annadecassia.com

    ResponderExcluir
  3. Quando se assume um relacionamento é por que você quer manter um laço significativo com alguém, no caso do namoro, dizer para as pessoas que aquela que você gosta tem um compromisso sério com você, ou seja, que ela é "sua". Aí já começa o controle, em algumas pessoas mais grave em outras nem tanto. Na minha visão todos os outros pontos que você sitou surgem de como esse ponto se desenvolve no relacionamento.
    1 _ Que melhor demonstração de controle para si mesmo do que enganar alguém e mesmo assim mantela do seu lado.
    2 _ O Controle de um lado sobre outro faz com que o lado "controlado" desista de coisas importantes para ele.
    4 _ Quando se perde tal controle, uma raiva muito grande surge dentro de quem queria o controle e as vezes essa leva a atitudes contra aquele que fugiu dos seus domínios.
    5 _ Alguns não aceitam que perderam as rédeas.
    6 _ Perda e retomada daquilo que é precioso, controlar outra pessoa.

    Obviamente há uma série de fatores que contracenam de mãos dadas com o controle e que cada relacionamento é ímpar e incomparável. Mas sobre os pontos que você destacou um dos fatores, e acho eu um dos principais, é esse.
    Abraço B.

    ResponderExcluir
  4. Muito interessante a tua reflexão, B. Dá pra notar que problemas como os que mencionaste são extremamente recorrentes.

    Muito bom texto.

    Beijo.
    www.dilemascotidianos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Qualquer q seja o relacionamento é primordial a confiança entre ambos e se não houver amor pleno, se não houver uma intenção de compartilhar a vida a dois, o q vier a seguir é consequência das faltas acima citadas. Bjos, B.

    ResponderExcluir
  6. Oi B.
    Concordo contigo em todos itens.
    O que mais me indigna é o item 4, porque não deixa de ser uma traição.

    Tem uma tag para ti lá no blogue.
    É sutil, mas ta lá.
    O H.E. e O. P. adverte:
    Este comentário vai ser copiado para muita gente. rss

    ResponderExcluir
  7. Uma vez um namorado me disse que a culpa da traição é dupla, porque se um sente necessidade de trair é porque o outro está em falta com algo. Mais tarde eu soube que ele estava me traindo, então... Acho que relacionamentos são complicados porque pessoas são complicadas e tendem a justificar seus atos através de ações de outra pessoa - ações essas com as quais eles "concordaram" ao estar com a pessoa. Ou seja: mimimi de "cerumano" racional.

    ResponderExcluir
  8. Minha opinião é igual a sua em quase todos os aspectos. Com exceção do número 2 (amigos)
    O amigo pode ser anterior a relação, mas pode não se adaptar a essa sua nova condição. Algumas brincadeiras ou até ciume pode atrapalhar o namoro. Por isso ainda não passei e, sinceramente, espero não passar, mas é o que acredito.
    Você é muito observadora. Todo mundo conhecem pelo menos uma pessoa que se encaixe em um ou mais itens dessa lista. Tem que ser psicóloga mesmo! rs

    ResponderExcluir
  9. Oi B.!
    Concordo com tudo o que falou, principalmente com a 2 e 3. Em um relacionamento existem várias nuances e cada caso é um caso, mas algo que é válido para todos é que ninguém deve deixar de ser si mesmo ao começar um novo relacionamento e nem deixar os amigos de lado.

    Beijos!

    ResponderExcluir