sábado, 5 de janeiro de 2013

Quanta ignorância!


     Durante todo o dia de hoje, venho passando por uma experiência um tanto quanto desagradável. À tarde fui dormir, para recuperar o sono perdido na noite anterior. Neste meio tempo, o vizinho ao lado ligou o som do carro na maior altura, de forma a estremecer as paredes e as janelas da minha casa.
     Este fato já vinha acontecendo algumas vezes e por sermos moradores novos aqui, não "devemos" reclamar, afinal, os moradores de longa data permanecem calados e quem somos nós para colocar ordem na casa, se chegamos há pouco tempo, não é mesmo?
     Bem, o mais interessante de tudo isso é a falta de respeito do ser humano. O homem que sempre está focado apenas em seu próprio umbigo, sem se colocar no lugar do próximo.
    Ainda me pergunto: Cadê o respeito mútuo? Sabe, o nosso direito termina, quando o direito do outro começa. Sim, eu adoro essa frase porque ela é demasiadamente verdadeira, não só nessa situação, como também em todas as outras. Mas, contextualizando, a pessoa está no direito de ouvir a música, contanto que ela não prejudique ao outro, nem provoque uma invasão na privacidade alheia.
    Resumindo: O que custa abaixar o volume, para que ambos se sintam bem? Porém, parece que a pessoa tem o prazer em ver seu carro mega potente e sendo o centro das atenções.
    Enfim, é preciso ter mais empatia, pessoal. É preciso se questionar sobre suas atitudes em relação às demais pessoas. Não podemos sair por aí, fazendo o que der na telha, sem respeito, sem pensar nas consequências para o próximo. Agir desta forma, é contemplar a ignorância.

3 comentários:

  1. Eu tinha o mesmo problema aqui, sextas, sabados e domingos eu nem tentava dormir mais (detalhe: me refiro a noite e dia inteiro). Passei horas na internet durante a madrugada por não conseguir dormir. Reclamava muito pois era tanto carro como casas. Como não resolvia comecei a pirraçar. Quando eles iam dormir ou estavam dormindo bem cedinho eu ligava meu som na maior altura acordando todo mundo. Quando vieram reclamar falei que eram direitos iguais.
    -Ahh mas eu quero dormir!
    -E eu respondia:
    -E eu sempre quis dormir a noite como todo ser humano comum!
    E ninguém mais reclamou comigo.
    Foram parando com o tempo.
    E eu tive tanta sorte depois, que justo a "casa" deles foi desapropriada por uma construtora para novas obras da prefeitura. Estou no céu agora. Não desanima amiga. Pensamento positivo resolve. Mas precisa de um empurrãozinho, assim como a loucura, já dizia o Coringa.

    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Eu ia sugerir um abaixo-assinado, pois não posso crer que TODOS os moradores daí estejam de acordo, prefiro acreditar que seja uma minoria B.
    Contudo, absurdamente não for o caso, gostei muito da ideia de J. Barroso.
    Há gente que não adianta usar de diplomacia, infelizmente, esta é a realidade.
    Bom domingo, na medida do possível.

    => CLIQUE => ESCRITOS LISÉRGICOS...

    ResponderExcluir
  3. Esse pessoal que faz isso na verdade sofre de algum tipo de carência afetiva e faz de tudo para aparecer. É a única explicação que encontro.

    Desejo que tu possas contornar essa situação.

    Beijos.
    www.dilemascotidianos.blogspot.com

    ResponderExcluir