segunda-feira, 5 de novembro de 2012

(Má) Sorte.



Desejo que volte
e entregue a minha sorte.
Traga um trevo de quatro folhas,
para cambiar minhas escolhas.

Antigos tempos,
jogados aos cinco ventos.
O presente é agora
e eu já não sei a hora.

Permanecerei neste lugar,
sem me importar.
Onde o doce frio
preenche o meu vazio.
 
Junto a este devaneio,
Digo-lhes o meu receio.
Conseguir esta proeza:
o retorno da frieza.

Chega de emoção,
que volte a razão!
Isenta de sentimento,
este é o meu momento.

6 comentários:

  1. Trocar a razão pela emoção não é uma boa escolha. Bjos.

    ResponderExcluir
  2. Um pouco de emoção pra nos fazer sentir as pernas cambaleando faz bem.

    ResponderExcluir
  3. Oi B.!
    Muito boa sua poesia, cheia de rimas e com uma boa mensagem.
    O ideal mesmo seria o equilibrio entre a razão e as emoções, mas nem sempre isso é possível.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Que poesia mais linda! Mas eu não concordo em deixar a emoção de lado e ouvir apenas a razão, acredito que seja necessário sempre um pouco de ambos.

    annadecassia.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Às vezes, já cansadas de sofrer, optamos pelo abandono das paixões e por deixar a razão ser a nossa guia... Isto é o que achamos, pois na verdade, a paixão está à espreita, esperando uma oportunidades de entrar de novo em nossas vidas, bagunçar tudo e transformar todo o marasmo em loucura!!!

    ResponderExcluir