domingo, 21 de outubro de 2012

"Diário de uma paixão."



   Júlio era um adolescente peculiar. Um loiro cheio de sardas que questionava tudo e todos que estavam à sua volta. Sofria da loucura dos porquê’s.  Por que o mundo é tão hostil? Por que os homens são tão egoístas? Por que não preservam o meio ambiente? Contudo, a pergunta que mais lhe intrigava era : ‘Por que não me encaixo em relacionamentos?’
  Para ser sincera, ele não experimentou nenhuma relação ao longo dos seus 18 anos de vida. Ora beijava uma menina aqui, ora beijava outra lá. No entanto, não se apresentava como os guris de sua faixa etária. Ele atribuía sentido a cada ação que realizava. O loiro tinha regras, tentava ser coerente com suas escolhas, a fim de não machucar as pessoas. Mas é claro, como todo ser humano, às vezes infringia as próprias leis. É fato que não se orgulhava de tal ato, no entanto entendia que não era perfeito, e que se esforçava o suficiente para dar o melhor de si.
  Porém, o seu mundo interior, havia piorado nas últimas semanas, ou melhor, “pirado”. Ele que sempre gostou de ser sozinho e não se importava com isso, agora estava apaixonado. Uma paixão platônica como poucas que havia presenciado. Nada era concreto. O loiro permanecia com o gosto do beijo em sua fantasia.
  Daquela vez, parecia estar realmente encrencado. Conheceu Betina no início do ano letivo, porém, até então, não deu espaço para que qualquer pessoa de sua classe se aproximasse. Betina permeou seu coração aos poucos. No começo, eram conversas irritantes, sem nexo, afinal, a garota era um estilo de 'bomba-relógio', que falava o tempo inteiro. Com o decorrer do curso, os laços foram se estreitando e fez-se um sentimento, de pouco tempo, mas de uma intensidade enorme. Júlio e Betina tornaram-se inseparáveis, sempre se ajudavam, aconselhavam um ao outro. Riam sem parar, faziam trabalhos juntos, estudavam. No entanto, ainda assim, existia uma barreira. Júlio era misterioso e não confiava em ninguém. Escondia parte de sua história e a guardava a sete chaves.
 Passaram-se dias e o garoto começou a ter uma sensação irreal. Refletia que aquilo não poderia estar acontecendo. Barrava-a, lutava para quebrá-la. Descobriu que era imaturo, ao pensar que as suas emoções poderiam ser controladas.
  Chegou à conclusão de que nem tudo estava de acordo com a sua razão. Sim, ele apaixonou-se por sua amiga e seus princípios caíram por terra.
  Seria uma ilusão, o loiro nunca poderia tocar os lábios de sua amada. Eram incompatíveis. Localizavam-se em mundos diferentes. Restava-lhe mantê-la por perto, em silêncio. Cultivar a amizade e deixar o seu amor unilateral, para trás. Criou-se um novo mistério, mas este, jamais seria revelado.

13 comentários:

  1. Belíssimo conto!
    Realmente, uma paixão entre dois amigos é algo complexo de mais para o coração. É meio triste isso.


    http://errosxacertos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito da forma como a qual descreveu o loiro nos primeiros instantes da narrativa. Digamos que é o tipo de personagem qual aprecio.

    Dizem que um relacionamento amoroso entre dois amigos pode devastar uma amizade, e de certo isso ocorre na maioria das vezes. Felizmente, pude provar que nem sempre é assim. Sabe, amigos se amam o tempo inteiro, mas destroem tudo por medo.

    Boa noite a ti!

    ResponderExcluir
  3. Dilemas do coração: quem há de encontrar razão neles, não é?

    ResponderExcluir
  4. B, lutar contra o seu sentimento e não dar oportunidade a experimentação é negar a própria existência. Bjos.

    ResponderExcluir
  5. Oi B!
    Ah, você também escreve contos. Que bacana! Manda muito bem hein. Gostei bastante.
    Obrigado pelo coment no blog. Passe mais vezes. Estarei de olho aki.

    Bjuss

    ResponderExcluir
  6. PQP, que texto maravilhoso. Tenho um amigo que se parece com Júlio! E este conto simplesmente merece uma continuação, e será recomendado em meu twitter. Arraso!
    Beijão, Sabrina. (www.spiderwebs.com.br) ♥

    ResponderExcluir
  7. Oie amoree, tudo bem??
    Tem uma tag pra vc lá no meu blog dá uma passadinha por lá depois
    http://loveyourhope.blogspot.com.br/2012/10/divulgacao-meme.html

    Beijoos

    ResponderExcluir
  8. Já achei que estava apaixonada pelo meu melhor amigo uma vez, mas eu tinha um medo tão grande de que se nós tentássemos algo e não desse certo não poderíamos voltar a ser os mesmos amigos de sempre, que acabei deixando isso tudo para lá e me apaixonando por outro. E acredito que realmente foi melhor assim.

    http://annadecassia.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Baita texto!

    E me identifiquei um pouco com o modo de ser do Julio...

    Beijos.
    www.dilemascotidianos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Obrigadaço pela visita ao Senhorita Alucinante, tenha um ótimo fim de semana, agora vou ler seus escritos. ;D


    Um abraço.

    ResponderExcluir
  11. Oiii minha querida,
    você escreve muito bem. Adorei esse conto. As palavras e o enredo foram bem colocados.
    Obrigada por visitar o meu blog. Estou seguido aqui. Volte sempre.
    Beijos floor
    I Simply

    ResponderExcluir
  12. O amor e suas complicações. Diz quem nunca amou um amigo?

    ResponderExcluir