domingo, 5 de agosto de 2012

A arte de (des)valorizar.



     Eu adoro futebol. Sim, eu adoro. O aprecio desde pequena, ou melhor, desde que me entendo por gente. Influenciada pelo meu pai, se me recordo bem, aos 6 anos de idade eu brincava com ele no quintal de casa e arriscava os meus primeiros chutes. Os primeiros de muitos, ao longo da minha caminhada, até 15 anos, quando parei. Não porque queria, mas sim pelas circunstâncias da vida. E então parei de sonhar em ser jogadora de futebol. Claro que negavam essa minha idéia desde o começo, com o seguinte argumento ‘Não dá dinheiro. O futebol feminino é diferente do masculino.’ Contudo, não eram frases que me desanimavam. Eu sinto muita saudade, dos meus tempos jogando bola no meio da rua, com os meninos. Talvez um dia, eu volte a praticá-lo.
     Enfim, o tempo que ficava no ‘gol’, levando boladas, se foi. Substitui-o por momentos de crescimento pessoal, formação de princípios, afinal, já estava na hora. Ocupei o meu antigo tempo do futebol, com estudos, tentando ganhar mais sabedoria, mesmo que pouca, ou vivendo e adquirindo experiências que desencadearam o que sou atualmente.
     Pois bem, ontem li em uma rede social, algo muito interessante que me motivou a escrever sobre o assunto. O conteúdo era a pressão que a mídia faz nos atletas olímpicos (quer dizer, não só nas Olimpíadas, mas em todas as competições de ALTO nível), por não ganharem medalha. E naquelas meras palavras de um jovem, ressaltava-se a ‘vergonha’ que muitos comentaristas mostram ter, pelo Brasil não estar no podium ou nos primeiros lugares da classificação no quadro. Soam críticas e mais críticas e é sempre assim. Por fim, o autor abrangeu o ápice de sua dissertação, focando na atenção do brasileiro, voltada quase que totalmente para o futebol.
     O futebol é patrocinado o ano inteiro, aliás, a cada 24 horas, surgem inúmeros patrocinadores. Patrocinadores de um clube, ou até mesmo, de um único jogador que por ser a ‘fera’ da vez, é disputado por todas as marcas e disseminará o nome das mesmas, para a sociedade. E os outros esportes onde ficam? Toda a verba se estende ao mundo futebolístico. São milhões de reais e investimentos no mercado da bola. O governo, principalmente, evidencia com o maior orgulho, a verba destinada às categorias de base e afins.
     Eu sou uma apaixonada por futebol. Sou Flanática, assisto aos jogos, vou ao estádio (quando posso), porém isso não me aliena a ponto de fechar os olhos para este problema. Hoje, estava assistindo a prova de ‘Nado Sincronizado’ e me encantei, de verdade, com a beleza e maestria das atletas/movimentos. Parei para pensar e me perguntei 'como não falam sobre este desporto por aqui?'. Isto vai além, alguns nem conhecem tal modalidade.
    Utilizarei uma frase do texto citado anteriormente: ‘Não é a toa, que o Brasil é chamado de país do futebol’. É, apenas do futebol, porque no apoio aos outros esportes, deixa muito a desejar. Os atletas precisam lutar sozinhos, correr atrás, divulgar o seu talento, até encontrar um pequeno colaborador que o leve para competições de baixo calão. Competições que nem ao menos, sabemos da existência. Eles passam por muitas dificuldades, para chegarem a uma Olimpíada. Pra mim, só de estar lá é uma grande vitória para o público brasileiro. E não, eles não merecem e nem podem, ser cobrados de algo que o próprio Brasil deixou de oferecer. Investimentos que com a enorme certeza, se fossem proporcionados da maneira correta, os levariam ao topo.
    Para encerrar, declaro toda a minha indignação perante a tal realidade. E digo mais: Não rotule os demais esportes, busque conhecê-los e perceba a qualidade dos mesmos. Observe além das medalhas, enxergue os atletas e investigue sobre a história de vida batalhadora de cada um. É preciso mudar. É preciso se desvencilhar de certas opiniões que os canais de TV cultuam. É preciso conhecer, antes de julgar. É preciso valorizar.

Observação: Nas próximas ocasiões expressarei minha opinião sobre a Copa do Mundo de 2014 e os Esportes Para-Olímpicos.

6 comentários:

  1. Olá! Gostei muito do seu post e do seu blog!
    É muito verdade tudo isso, no Brasil só valorizamos o futebol e, por isso, considero todos os atletas das demais modalidades verdadeiros heróis por conseguirem chegar às Olimpíadas ou grandes competições com muito pouco apoio!

    Gostaria também de convidá-la para participar de um concurso cultural que irá definir dois colunistas para o meu blog!

    É um blog coletivo, com 13 autores, e estamos procurando preencher duas vagas para completar nossa equipe. Caso você queira participar ou conheça alguém que se interessa e tem disponibilidade, é só acessar nosso evento no facebook! https://www.facebook.com/events/453755107991711/

    Acho que você tem chances, abraços!

    ResponderExcluir
  2. Oi
    Que coincidência, acabei de postar sobre o assunto em meu blog. E voce fala uma grande verdade, o Brasil é o país do futebol e só. Aqui só se tem apoio depois que o cara ganha uma medalha ou competição e se torna conhecido e, mesmo assim por pouco tempo. Infelizmente é assim por aqui. Gostei mto do texto
    gde abrsss
    Fernando
    http://fernopinari.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Sabe, eu vivo dizendo isso pra o povo que conheço. Tenho uma bronca com o fato de o Brasil ser focado apenas nisso em termos esportivos, porque há tantos esportes que deveriam ser destaque... isso é injusto.
    Não gosto de futebol, mas também não desgosto. Minha implicância é apenas esse foco que o Brasil tem apenas no futebol.
    Mas olha, gostei bastante dessa crônica. Mesmo.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Ahhh vou me abster de comentários super elaborados, não que o seu texto não mereça, mas eu acho que país, do qual estamos falando, esse sim, não merece.

    Um país que supervaloriza o futebol e esquece de outros esportes, aliás, supervaloriza o futebol masculino né, afinal, do feminino, mal se ouve falar. Um país que supervaloriza bundas e não cérebros. Um país que supervaloriza estádios em vez de escolas.

    Não há muito o que se falar.

    Querem cobrar de atletas sem ter nem investido neles. Triste.

    Adorei teu comentário no meu blog. Quando quiser, sinta-se à vontade para voltar.

    Um grande beijo, Misunderstood.

    ResponderExcluir
  5. Existe a grande possibilidade do futebol do Brasil finalmente trazer o ouro olímpico pra casa no fim de semana e sequer por um momento eu acho que esse ouro possa se equiparar ao que foi conquistado no judô ou ao que foi conquistado na ginástica. Justamente por tudo isso que tu falou, sabe? Grande parte dos atletas olímpicos brasileiros estão lá porque a luta deles ultrapassa quadras, ginásios, tatames... O que não é o caso do futebol. Por mais que eu adore acompanhar a Copa do Mundo - e mais do que acompanho as Olimpíadas, preciso confessar -, acho que a seleção brasileira conquistar títulos não é mais do que a obrigação, se a gente parar pra pensar no tanto que os caras ganham. Mas enfim, divaguei aqui. E gostei muito do texto!

    :*

    http://hey-london.net

    ResponderExcluir
  6. eu odeio futebol, mas vc é envolvendo qndo escrever, abraços querida, me visita.

    Divã da Tia eni

    http://divadatiaeni.webnode.com/

    ResponderExcluir