sábado, 24 de maio de 2014

Repentinamente amiga.


     Chego resguardada, em um local temido. Rompendo com o meu medo e encarando uma nova etapa da vida. Mesmo assim, sigo retraída, em um mundo criado só pra mim.
     As pessoas tentam se aproximar e por mais que eu saiba a necessidade de criar laços para a minha manutenção naquele lugar, sigo isolada, com uma barreira de proteção.
     Sou diferente. Nunca quis ser o centro das atenções, sempre procurando ir contra a corrente, sendo como um vidro transparente. Não me importo em ser invisível e até preferia assim, contudo, alguém chegou e descobriu-me.
     Descobriu meu segredo e me senti desarmada. Não sabia a proporção que aquela descoberta poderia tomar, afinal só a conhecia há uma semana. Por mais que eu me escondesse, ela descobrira.
     Não havia saída, a não ser dar um voto de confiança, receoso, é claro. E a partir desse risco eu tive um grande presente. A partir de uma estrutura um tanto quanto frágil, edificou-se uma amizade forte.
     Existem pessoas, que não permanecem na nossa vida pra sempre, mas permanecem tempo o suficiente para muda-la e engrandecê-la. 

3 comentários:

  1. Uma amizade verdadeira é capaz de penetrar nos recônditos mais difíceis de nós. O encanto nasce nesse enlace comprometido, que tanto muda e nos engrandece.

    Lindo B.

    ps: Sentia falta sua lá também. Bom te ver. :)

    ResponderExcluir
  2. Lindo texto!
    Concordo plenamente, pois não é o tempo corrido que importa, mas a qualidade deste tempo, das experiências trocadas, dos sentimentos divididos.
    Bravo!
    Bjus
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderExcluir