sábado, 18 de janeiro de 2014

[Final] O enigma dos seringueiros.


     Alan, Fernando e Ivan regressaram ao acampamento para terminar o trabalho nos dias que se seguiriam.
     Horas se passaram e estava anoitecendo. A lua despontava no céu, iluminando parte da floresta sombria.  O frio assolava os seringueiros, causando-lhes calafrios intermitentes. Os três fizeram então uma fogueira com os gravetos que encontravam-se próximos.
     Ao redor da fogueira, Fernando começou a indagar Alan:
     - Como conseguiu encanta-la? Como conseguiu resistir à tentação de não se apaixonar por Serena?
     Alan refletiu um pouco e apenas soltou um “não sei” abafado.
     A verdade é que ele não resistira. Fê-lo porque precisava salvar seus amigos, porém, Serena permeava a sua mente, desde o primeiro segundo que a vira. Pensava na sua face enquanto ele tocava a gaita e no seu gemido de prazer ao ouvir o som do encantamento.
     O dia nasceu com o barulho de uma chuva fina que acordou os amigos. Não tinham como escapar, teriam que trabalhar, faça chuva ou faça sol. Pegaram as suas ferramentas e foram às seringueiras, extrair o látex.
     Alan mal conseguia trabalhar. Não se concentrava, desviava o foco e por pouco não deixou Fernando cair da escada em que estava. Fernando e Ivan perguntavam o que estava acontecendo, mas Alan se esquivava das respostas. Então, a tardezinha Alan inventou uma desculpa qualquer para os amigos e se direcionou até o lago onde Serena se encontrava.
     Ao caminhar até o lago, uma chuva torrencial começou a desabar sobre a cabeça de Alan. Avistando o local, uma ponta de sorriso surgiu no rosto do seringueiro. Alguns minutos após o início da queda d’água, o lago começou a transbordar. Alan avançou e sem perceber, caiu em uma areia movediça, na qual ficou preso sem conseguir se mover. Alan gritava por socorro, enquanto a terra o engolia. Há poucos metros do lago, Alan debruçou-se sobre as rochas e tentou pular na água em um impulso. Contudo, sem sucesso.
    Quando toda a sua esperança estava se esvaindo, Serena apareceu por entre águas. Mirou o que estava acontecendo e fixou os seus olhos nos de Alan. Serena, arredia, aproximou-se com cautela e percebeu o clamor por ajuda vindo da alma do seringueiro. Lembrou-se da melodia de sua música, estendeu os braços e o levou de volta à superfície do lago.
     Enquanto isso, Fernando e Ivan avançavam por entre a mata até chegar ao lago, procurando pelo amigo. Ao avistarem Alan junto à Serena, resolveram tomar uma atitude para salva-lo. Ivan, impetuoso, pegou a lança que estava em sua mochila, gritou por Alan e arremessou-a de encontro à sereia. Alan só teve tempo de abaixar-se e jogar-se contra as águas do lago aliado à Serena.
     Ambos, contemplando o fogo da paixão, desapareceram nas profundezas do lago. Alan jamais regressou à terra firme novamente e vivera pelo resto de sua vida, junto à sereia amada.
     Fernando e Ivan voltaram ao acampamento, entraram em contato com o chefe, explicando o que havia acontecido mas ninguém acreditou. Então, regressaram à cidade, foram encaminhados a outros locais e receberam a notícia de que jamais voltariam a enviar seringueiros para aquela floresta misteriosa. 

5 comentários:

  1. Puxa, que final legal!!! Alan salvou os amigos mas rendeu-se à paixão pela sereia... surpreendeu-me, adorei! :D
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Um final feliz. No fim, o amor prevaleceu. Bonito conto de amor baseado na mítica sereia. Gostei da ambientação e da narrativa.

    Você escreve muito bem!

    :)

    Beijo e boa semana B.

    ResponderExcluir
  3. Belíssimo conto, B. Muito envolvente.

    Grande beijo.
    www.dilemascotidianos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Adorei o final, é tão inusitado, tão diferente de tudo que costumo ler em blogs, é um conto cheio de personalidade, muito bem escrito e desenvolvido. Parabéns, B. Foi muito legal acompanhar esse conto. E ainda bem que no final o amor prevaleceu e os dois ficaram juntos.

    Beijos, moça.
    Um ótima semana pra você.

    eraoutravezamor.blogspot.com
    semprovas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Eu suspeitei que teria algo em relação aos dois, mas mesmo assim gostei do final. Um tanto diferente em vez dele beijá-la e ela virar um princesa, ele que foi para mundo dela.
    Muito legal.

    ResponderExcluir