terça-feira, 10 de julho de 2012

Metamorfoses.



       Vivemos em um mundo, onde a maioria dos 'desejos' materiais, estão ao nosso alcance, devido à presença do nosso pseudo-amigo: dinheiro.  Não escondo meus princípios comunistas, contudo sei que eles se encontram longe de garantir uma diferença nessa sociedade capitalista bizarra na qual estamos inseridos, querendo ou não. Mas o post de hoje, não será sobre este assunto.
       Queria esclarecer alguns novos ideais que tenho em mente e venho tentando cultivar. De fato, em contraposição aos desejos materiais, as fantasias e/ou sonhos emocionais, estão cada vez mais destinados ao abismo do impossível. Não somos capacitados o bastante para controlá-los, ou encontrar alguém que consiga saciá-los. O ser humano, deixou o sentimentalismo se perder, de uma forma incrível. As emoções escapam de nossas mãos facilmente e idealizamos algo que não podemos ter. Estes pensamentos fantasiosos, nos levam às expectativas. Pois bem, era aí que eu queria chegar.
       Será que esperar algo de alguém é mesmo a saída adequada? Ou será melhor transformar a indiferença em estilo de vida?
       Ainda estou realizando os devidos ajustes, para escolher apropriadamente. Confesso que nesses meus 17 anos, praticava a primeira opção, porém agora percebi que devo mudar. É complicado reverter uma idéia, seja ela qual for, para outra, totalmente distinta e contraditória. Porém, aquela frase permanece martelando em minha cabeça: “Eu não espero nada de ninguém e ninguém espera nada de mim. Assim não há sofrimento de ambas as partes”.
       Ao refletir sobre tais palavras, meu corpo se inunda de uma gana enorme em começar novamente, no entanto, por outro caminho. Sem expectativas, a fim de evitar maiores quedas. Sem pensamentos futuristas que não se realizarão. Com os pés no chão, no presente, no aqui, no hoje, no agora. 

3 comentários:

  1. Impossível! E se parecer não ser impossível, é porquê não há plenitude. E sem plenitude vive-se à meia-boca.
    Mil vezes expectativas, me frustrar e até me decepcionar -desde que por causas sempre novas, aprendendo sempre- que viver uma vidinha mais ou menos, por medo de viver, medo de aprender a viver.
    E não falo só de emoção, de coração. Falo de razão. Viver é ir fundo, na contramão, e não se contentar com a "razidão" da unanimidade. Há saída. Há solução. Falta busca e autoconhecimento sério, fora das nossas conveniências.

    Beijocas!

    ResponderExcluir
  2. Começar novamente todos os dias. Não há depois.

    Perdemos tempo demais esperando que os outros façam algo por nós, nos acomodamos muito. A vida grita da janela por atenção, por plenitude.

    ResponderExcluir
  3. Depois de se decepcionar mais do que o merecido com pessoas que vc esperava justamente o contrário é bom realmente mudar, mas primeiro te faço uma perguna, a pessoa ou as pessoas que te decepcionaram já te deram antes aquilo que vc esperou agora?? Quero dizer, foi vc que esperou demais delas ou elas que te ofereceram menos do que elas poderiam?? O problema é realmente o seu comportamnento??
    Sou contra vc tratar tds as pessoas da msm forma pois não somos tds iguais e devemos ser tratados de acordo com nossas difereças mas sempre respeitando a tds da msm forma. Ter espectativas de pessoas que te fazem feliz e já fizeram e provaram mt pra ti é algo natural e até saudavel pois vc tendo noção de que isso se realizará te da mt segurança, agora ter espectativas de alguem que vc acabou de conhecer pode te trazer mts frustrações e não dar tempo da amizade crescer.
    Bem resumindo, eu acho que se vc tem segurança em alguem a expectativa faz parte da confiança que vc deposita nessa pessoa e se essa pessoa merecer tal confiança vc não se desapontará.
    Acho que ficou meio longo e confuso mas tenho certeza de que entenderá Biia.

    ResponderExcluir