sábado, 8 de fevereiro de 2014

[Parte 2] Black Day.


     Na manhã seguinte, Karl despertou cedo e se encaminhou rapidamente ao segundo dia de comemoração. Naquela altura de sua estratégia, já tinha conseguido as informações necessárias sobre Elisa enquanto vagava na noite passada.
     Arquitetando suas jogadas, Karl fora interrompido pela loira que atravessava sua visão. Tratou de ficar o mais próximo possível de Elisa e então começou a conversar com a garota. Essa cena se repetiu com o passar dos dias. Entre conversas e beijos, Elisa se sentia envolvida por Karl, mas também tinha o pressentimento de que havia algo além do que ela sabia sobre ele.
      Após seduzi-la, Karl finalmente ganhou a confiança da loira e levou-a para sua mansão, certa noite. Elisa era virgem, estava com medo de se entregar para alguém que conhecera há alguns dias, contudo as suas emoções falaram mais alto e ela deixou a razão de lado. Entregou-se e cometeu o pior erro de sua vida.
      Quando acordou estava em um calabouço acorrentada. Confusa, não imaginava o que havia acontecido. Em momentos de insanidade, ainda acreditava que estaria em um sonho, porém a confirmação da realidade veio ao avistar Karl entrar no local em que estava jogada. Elisa perguntou-lhe:
      - O que está acontecendo Karl? Isso é alguma brincadeira? Ou algum mal entendido?
      Karl sorriu e respondeu-a com uma dose de sarcasmo: - Não, doçura. Espere meu pai chegar e terá a resposta para as suas perguntas.
      Esteban adentrou o local e dirigiu suas palavras à Elisa: 
      - É uma pena você ser tão bonita, garota, e acabar assim. Bom, mas sem prolongar teu sofrimento, vamos fazer isso da melhor maneira possível. 
      Ouça essa história e entenderás: 
      - Há muitos anos, quando a guerra assolou a nossa região, conheci uma garota jovem e virgem como você. Apaixonei-me perdidamente, mas acabei descobrindo que ela guardava um segredo. Havia feito um pacto com o diabo, em troca da concepção de um filho, pois era estéril. Então o nosso filho nasceu, mas eu sempre notei que havia algo de diferente nele, só não compreendia. Quando a mãe de Karl estava no seu leito de morte, confessou o seu pacto e disse que o nosso filho pertencia às trevas. Em seu último suspiro, ela pediu que eu encontrasse uma garota pura para pertencer a Karl e então dar a luz a uma filha poderosa, que seria metade das trevas e metade da luz e perpetuaria a espécie semi-mortal. Você foi a escolhida para gerar esta filha.
      Desesperada, Elisa não podia e nem queria acreditar no que ouvira. Um grito ecoou da sua garganta e lágrimas escorreram por sua face.

2 comentários:

  1. Agora ficou tenso.
    Mas era só pedi-la em casamento... que caras grossos rsss.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, a trama é mais assustadora do que pensei. Uma história de anjos e demônios, luz e trevas? Bem interessante. Agora tô ansioso pra ver a continuação pra saber se ela se salva rs

    Tô gostando =D

    ResponderExcluir