sábado, 2 de março de 2013

[Parte 1] Ghost City.

 
 
    Rafaela acordara novamente, aos gritos, no meio da noite. Colocou a mão no peito e sentiu um torpor inexplicável. Levantou-se da cama rapidamente e se direcionou até à cozinha. Agarrou uma taça e encheu-a com vinho. Quando mirou-a, se assustou ao perceber que o líquido tinha o aspecto de puro sangue. Segurou fortemente a taça até que parte dela se quebrou, cortando sua pele. Rafaela, usando seu instinto, jogou-a no chão, estilhaçando-a.
    Derrotada dobrou os joelhos no assoalho. Relembrou a sua infância, em que sempre caía ao chão, nas madrugadas daquele lar infantil. Tinha pesadelos, desde essa época. Ninguém a socorria, continuava só. Por isso, decidiu se isolar do mundo e viver ao lado da solidão, afinal ela já se acostumara com a sua companhia.  
    Era uma criança considerada estranha, pelos demais. Ouvia vozes, vultos, luzes, que os demais não percebiam. Os cuidadores levaram-na em psicólogos e psiquiatras, alegando que ela estivesse com algum distúrbio mental.  Mas nada foi constatado.
    Rafaela sempre ficava perdida, devido a esta situação. Apenas tentava pensar, que o seu dom fosse passar, porém, não passou. Na manhã seguinte, estava determinada a buscar o auxílio de um espírita que circundava a região.
   O despertador apitou às 7:00. Rafaela, com muito sono em razão da noite turbulenta, adormeceu mais 5 minutinhos, até que um pesadelo a acordou. Após levantar-se, procurou alguma roupa apropriada para o momento. Vestiu uma regata branca, uma calça jeans e seu All Star desbotado.


 

8 comentários:

  1. Nossa, dá pra sentir junto a angústia da Rafaela, muito bom!

    Vou torcer para que tenha uma sequência, porque uma possível sequência é bem instigante!

    Beijos, e parabéns por mais um ótimo texto.
    www.dilemascotidianos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Fiquei aflita com a Rafaela, agoniada no lugar dela, gosto de histórias assim, sombrias dessa forma. Espero que tenha continuação.

    Respondendo: O texto "pensamentos de Xavier" não é um pedaço de nenhum livro, é de minha autoria mesmo e fico muito feliz que tenha gostado *-* adorei a visita. Vou vir aqui sempre que puder. Ótimo texto, só queria mais detalhes, amo detalhes.

    beijoca ♥
    nidum.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Rafaela parece ser perturbada até demais. Porém personagens interessantes costumeiramente o são.

    Kissu ;*

    ResponderExcluir
  4. Um conto espírita, B. Fiquei curioso. Bjos

    ResponderExcluir
  5. Adoro histórias assim, que fazem sentir um pouco o personagem! A Rafaela não era perturbada (pra mim) só tinha em sua alma muitas inquietações.

    ResponderExcluir
  6. Oi B.!
    Uia, uma bela introdução para uma história com grande potencial. Já fiquei imaginando o que pode vir a acontecer.

    Que bom que gostou do meu relato da viagem.
    Você tem facebook? Ou um email? para nos comunicarmos mais e melhor?

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Adoro blogs que postam histórias. São uma forma interessante de prender o leitor, e fazer com que ele volte para conferir as outras partes. Mas afinal, você não precisa disso porque escreves deveras bem.
    Obrigada pela visita e comentários em meu blog, voltarei em breve.
    http://daquioitentaanos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Com uma dose certa de emoção...
    aguardado parte 2

    ResponderExcluir