domingo, 3 de junho de 2012

Vírgulas.



     E foi assim quando o destino nos colocou frente a frente naquela noite. Sem explicações, pré-requisitos ou intenções, apenas obra do acaso. É, o velho acaso que após inúmeras tentativas de nos permitir, acabou não nos permitindo em nada.
     Parecíamos duas estranhas, indiferentes. Seu olhar recuo, seu semblante cabisbaixo tornou-se um terror em minha mente. Sentia-me inexistente. Embora estivesse rodeada por todas aquelas pessoas, somente uma não me notava. Aquela antiga conhecida, chamada de amiga, que desviou a mirada de minha direção.
     Um símbolo, uma palavra e continuaríamos o inacabado. Sim, nossa amizade está interrupta e possivelmente, hoje, era o dia, o momento e a hora certa para que seguíssemos no mesmo caminho novamente.
     No entanto, a decepção acordou-me de certos sonhos. E de fato, a frustração não sai dos meus pensamentos. Será que pegarei no sono? Ou aquela cena inoportuna ficará martelando, ao deitar no travesseiro?
     Perguntaram-me sobre os meus amigos. Indagaram-me sobre a duração de meus laços fortes e a conservação dos mesmos. Sem pensar, respondi: Sempre. Ao voltar a consciência, lembrei-me de ti. Caí em contradições.
     Talvez agora, eu encontrasse a explicação para tais atitudes impulsivas. Por um momento, a mágoa passa, contudo, o fato me persegue e a traz para o presente. Desejo não viver de passados, porém, como esquecer que um coração foi arruinado, muitas vezes? Então, chegamos ao fim? Se você nem sequer disse adeus.
    Anseio pela fórmula das cinzas, pois assim, o que passou será queimado e jamais ressurgirá. Enquanto não a encontro, prezo pela sua felicidade, mesmo que de longe, estarei te observando.

5 comentários:

  1. você é escreve feito poeta, belíssimo texto, mas achei muito pessoal, parece que...foi uma coisa muito sua, não que isso seja ruim, muito pelo contrário, é que quando é assim eu não sei direito o que comentar, embora eu curta... não entenda isso como um comentário de quem não leu o texto, nd disso, eu sou apenas sincera, e não adianta perder meu tempo entrando num blog e não ler o texto, foi apenas uma opinião mesmo, parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelos elogios Kelly. É um texto pessoal sim, uma história verídica, meio que um desabafo mesmo, mas fico feliz por ter gostado.

      Excluir
  2. É complicado Bia. Complicado demais.
    Quanto mais eu conheço as pessoas, mais gosto do meu cachorro"
    Essa frase é praxe pra cacete, mas é a mais pura verdade.
    Muitas vezes inventamos sentimentos com o objetivo de fazer nossa vida ser "melhor", e o que encontramos realmente são incógnitas e pontos de interrogações gigantescos.
    Não sei bem o que receitar, apenas que você tenha cabeça fria e passe por essa fase, se é que posso chamar isso de fase.

    ResponderExcluir
  3. E é isso: não estar junto, mas querer ver o outro feliz. Lindo texto, B.

    ResponderExcluir
  4. Quando uma pessoa entra em nossa vida e gostamos dela nos esforçamos para que ela continue mas as vezes não é isso q ela, ou a vida, quer.

    ResponderExcluir