domingo, 17 de junho de 2012

Last Lap.


     E foi dada a largada. O dia está nublado e o cenário é o mundo contemporâneo. O Grid comporta velhos amigos dos torcedores. A pole position está nas mãos do egoísmo. Após vários anos, o egoísmo assumiu a ponta do campeonato. Logo atrás dele, encontra-se a soberba. Entre tentativas inúteis de ultrapassagem, ela permanece na segunda posição, mas segue ameaçando o líder. Em terceiro está o desamor. Estagnado em sua colocação, não ameaça o adversário, apenas se mantém estável. Por último e menos importante, a vigésima quarta colocação abrange a esperança que insiste no ensaio de transpor os demais ‘carros’. Contudo não lhe proporcionam espaço. Sente-se humilhada ao pensar que já foi campeã mundial e agora não a respeitam mais. É veloz em uma curva ou em outra, no entanto, nem todas as viradas, deixam-na segura de seu lugar. Entre poças de água, perde o controle e deixa resquícios de óleo na pista.
    O tal do egoísmo, todo mauricinho, cortou a esperança pela esquerda a fim de abrir mais uma volta de vantagem em relação à retardatária. Para sua surpresa, o resquício de óleo deixado na pista, fê-lo bater contra os pneus da brita. Os demais competidores, alguns desistiram, enquanto outros quebraram.
    Na última volta, a esperança deparou-se com uma oportunidade de caminhar para a liderança. Mirou para sua frente e o desamor surgiu com gana de vitória. Porém, em um desvio, o convencido saiu da pista e concretizou a conquista da antiga e boa esperança.


8 comentários:

  1. Realmente, a esperança tenta, tenta, tenta... e acaba conseguindo. Porque ela nunca desiste - meio óbvio, né? Mas é verdade.
    Gostei da forma como você lidou com esses elementos tão corriqueiros da vida. Você escreve bem pra caramba, guria, e suas parábolas sempre têm muito sentido. *-*

    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Muito linda e inteligente essa sua dose certa de criatividade. E é isso mesmo, uma corrida maluca. Correndo e brigando por posições a vida se faz no meio de uma campo tribulado de competições.
    Agora te sigo.
    http://escritordebrinquedo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Pareceu auto-ajuda. :D rs

    Gostei do seu jogo de metáforas nesse texto, B. ;*

    ResponderExcluir
  4. Isso que li se resume em uma coisa simples e interessante... CRIATIVIDADE!
    Bom texto, gostei.

    ResponderExcluir
  5. Deve ser uma emoção ver ao vivo, eu sempre pensei.
    Legal a misturadinha que você fez aí.

    ResponderExcluir
  6. Muito criativa a forma que montou teu testo, com temas de extrema relevância e de uma forma agradável de ler.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  7. Eu hein, olha o seu lado de Psicologia atacando ai Bia!
    Ótimo texto, e é verdade mesmo, apesar dos pesares. A esperança é a última que morre.
    Pode passar um milhão de coisas na vida, e mesmo assim todo mundo tem esperança de um mundo melhor.
    Caso contrário, a taxa de suicidios iria aumentar de forma muito grande.
    Enfim, bela passagem como sempre Bia!

    <3

    ResponderExcluir
  8. Levei um susto de primeira porque sou fã de automobilismo hahahaha
    Vez ou outra eu me sinto numa corrida de sentimentos... nunca vence quem eu quero!

    (www.caixinhadeopinioes.zip.net)

    ResponderExcluir