sexta-feira, 11 de abril de 2014

Mão Dupla.


     Pensar demais nos leva a tantas dúvidas. Este é um ponto que preciso solucionar, pois acabo pensando demais e agindo de menos. Pensar não é o bastante. A vida acabou demonstrando para mim que as ações falam por si e que não adianta você pensar/sentir algo, se age de forma diferente, porque sempre irão considerar seus atos (na maioria, falhos) como forma de julgamento.  
     O que quero dizer é que nesse lance de pensar demais, acabo encontrando duas vias para cada tema que é me proporcionado. Penso em um argumento e penso no contra-argumento também. Não sei se considero essa estratégia relevante ou não, mas é algo que me cerceia. E, considerando o exposto, fico muito confusa em algumas questões, tanto que penso por horas a fio sobre.
     Pois bem, hoje expressarei minha opinião (de mão dupla) sobre rótulos e estereótipos. São padrões e isto é claro. Reducionistas, limitados e que não alcançam de forma alguma a essência do homem, tal como ela é. Porém, acredito que necessitamos de rótulos.
Particularmente, fico a refletir como seria o mundo se nada fosse padronizado. É certo que seria menos excludente e preconceituoso, mas será quanto tempo demoraríamos para decifrar uma pessoa? Quanto tempo ficaríamos a tentar entende-la? Uma vida inteira, quem sabe.
    Querendo ou não, por mais insuficiente que seja o ser humano, ainda assim somos complexos. Se já somos complexos e quiçá ininteligíveis quando se tem estereótipos, imagina se não os tivéssemos?
    O que quero explicitar aqui é: E se não tivéssemos parâmetro nenhum?
    Sei que não podemos ficar comparando tudo e todos, porque é uma visão extremamente reducionista, contudo, como saberíamos/definiríamos se o outro está triste ou feliz? Como o ajudaríamos?
    Bom, deixo as respostas para estas perguntas, em aberto, pois assim como eu, espero que vocês também possam refletir sobre. Como já li, certa vez, “não há nada mais gratificante, do que colocar uma semente de dúvida que brota na mente de alguém”. E com toda a certeza dúvida é o início de tudo. 

7 comentários:

  1. Se todos se respeitassem os rótulos seriam totalmente desnecessário (já os acho ridículos), e para saber se alguém está bem ou não basta apenas conversar, se você o respeitar ele irá te responder, afinal é idiotice apenas analisar o comportamento se a essência e descoberta através da conversa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O comportamento é parte da linguagem do homem ^^

      Excluir
    2. Bela sentença, mas sentenciando não há debate.

      Excluir
  2. O problema não é ter parâmetros, mas a gente se prender a eles. Pontos de referência, ou mesmo padrões, nunca podem ser retratos absolutos de uma sociedade, sobretudo do ser humano, com personalidade tão particular, inseparável à tudo e à todos. O erro, ao meu ver, é inserirmos alguém num padrão de forma plena. O ser humano tem muitas nuances, todos temos particularidades que nos diferem um do outro. Ao julgarmos pelos padrões, perdemos efetivamente o que as pessoas realmente são. Deixamos de realmente conhecer, aceitando o fato de que o padrão reflete por inteiro aquela pessoa.

    É por isso que não ligo, muito menos acho relevante rótulos. Vejo cada pessoa como um ser diferente. E só assim conheço - e respeito - as pessoas verdadeiramente, sem julgá-la precipitadamente. A propósito, é justamente por sermos demasiadamente complexos que rótulos são desnecessários, por limitarem mais ainda o quão infindo é a imensidão do nosso ser.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  3. Gosto muito da sua escrita.
    Parabéns!
    ......................................................................................
    PS: Deixei uma surpresa para você aqui : http://e-p-gheramer.com.br/blog.html/

    ResponderExcluir
  4. Pensar demais não é problema, agir de menos sim;
    Dá para se pensar bastante para executar bem, mas executar;
    E realmente não dá para comparar tudo e todos. Somos diferentes e cada coisa depende da situação que se encontra.

    ResponderExcluir
  5. Pensar demais não é problema desde que não nos limitemos somente ao pensamento, é preciso agir. De certo são as dúvidas que movimentam nossa vida, movimentam a partir do momento em que nos propomos a encontrar possíveis respostas. O pensamento é absolutamente necessário, mas sem ação não vale muito.

    Quanto aos padrões, a resposta sobre isso realmente não é nada óbvia, mas eu acredito que determinados padrões são necessários, desde o tempo das cavernas e até mesmo os animais se dividem seguindo uma ordem, um esteriótipo. De certa forma a evolução depende deles, querendo ou não procuramos o que é melhor e como saber o que é melhor se não estipularmos padrões, agora a questão consiste em que tipo de padrão vamos criar e são inúmeras questões, pensar nisso da a impressão de que estamos andando em círculos, parando nas mesmas questões "aparentemente" sem solução.

    Adorei o post, adoro tudo aquilo que me desafia, que me provoca o pensamento, isso é ótimo.

    Beijos, moça.
    eraoutravezamor.blogspot.com

    ResponderExcluir