quarta-feira, 16 de maio de 2012

Viagens de um sonhador.

 

        Entre as mais belas árvores do bosque, escondia-se um garoto prodígio. Desde muito pequeno, era colocado em situações de risco, pelo seu tão amargo destino. Seu pai, um lenhador de barbas falhas, fora assassinado pelo jagunço da região. Sua mãe, caiu em depressão após o acontecimento e encontrava-se deitada em uma cama.
       Certo dia, quando a fome lhe pegou de jeito, o menino decidiu correr atrás de um alimento. Os frutos já não amadureciam mais, as folhas estavam desidratadas. Sem nenhum lenhador digno para cuidar daquela imensidão verde, a situação ficava mais difícil. Em meio a pensamentos e tropeços, Juan avistou uma maçã vermelhinha caída ao chão. Ela destacava-se devido à sua cor, perante o cenário desgastado da floresta.
       Ouviu o barulho do seu estômago e começou a chorar. Voltou para casa correndo. Embora tivesse apenas uma maçã, o menino doou-a à sua mãe, sem demonstrar a sua subnutrição.
       Com o passar do tempo, apareciam mais e mais frutos, um em cada lugar, como se fosse uma trilha. Juan começou a ficar intrigado com aqueles fatos repetitivos.
        Em uma manhã chuvosa, após uma melhora de sua mãe, levou-a para um passeio na mata. Segurando sua mão firmemente, Juan guiava aquela senhora de cabelos negros pelo rasto de frutos. Dessa vez, a caminhada estava mais longa. Eram inúmeros frutos, além de flores que surgiam rapidamente, originando novas sementes. Quando os dois alcançaram a última semente, ficaram surpresos ao mirar o que estava a 1 metro de distância deles. Era gigantesco, de várias cores e retalhos. Era um balão de ar quente.
       Aquele balão era o objeto mais lindo já presenciado por eles. Em meio a tanta emoção, os dois se abraçaram forte. Intercalando sorrisos com lágrimas de emoção entraram dentro do cesto. Aqueceram o ar e acenderam o fogo, enquanto o balão subia livremente no céu azulado. Decidiram embarcar nesse desafio. Juan era um garoto que nunca deixou seus sonhos de lado, mesmo após a perda de seu pai. Como um grande sonhador, queria mostrar o mundo para sua mãe e fazê-la voltar a viver.
      Algumas horas com aquela vista panarômica de vôo, incentivaram Juan a refletir sobre os últimos acontecimentos. Ao passo que o ar batia em seu rosto e o balão sobrevoava o Rio, o garoto chegou à conclusão de que aquelas sementes tinham um toque de mágica. Eram sementes especiais e não estavam ali, por acaso.
      As sementes de uma forma quase que inacreditável guiaram-lhes para aquela linda descoberta. As sementes denotavam vida, ou melhor, a retomada dela.
      Com os olhos marejados, manobrou o balão, segurou-se na corda que o estruturava e disse para os quatro ventos: ‘A eternidade é o limite, para um viajante sonhador’.
      Feito isso, fitou sua mãe atentamente e como um guerreiro disse-lhe: ‘Prepare-se mamãe, uma viagem inesquecível nos espera. Canadá aí vamos nós.’
      Do alto, seu pai sorria ao ouvir as palavras do filho. Finalmente, Juan havia encontrado o sentido que ele o mostrara, através dos frutos. Sua última imagem antes de partir para o lugar eterno, foi um pontinho minúsculo desaparecendo no meio das nuvens.


8 comentários:

  1. Sem palavras, amo teus textos.

    ResponderExcluir
  2. Olá :)

    Ahhh, que gracinha!
    Me lembrou tanto o livro "O dia do curinga" de Jostein Gaarder! Hehehe

    Beijinhos

    ---
    www.jehjeh.com

    ResponderExcluir
  3. Me diz, como tu consegues escrever tão bem? Adoro teus textos. Tens um jeito tão delicado de contar histórias, que vicia. bjs

    ResponderExcluir
  4. Isso é lindo demais!Textos que refletem sonhos,alegrias e coisas boas, elas me remetem a imaginações belas ><;

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  5. É Bia, seus textos são pica mesmo ksksksk.
    Enfim, muitas vezes nos abalamos em acontecimentos em nossas vidas, e acabamos deixando de viver.
    Felizmente o ser humano tem uma válvula de escape que sempre faz com que ele consiga dar a volta por cima.
    Me identifiquei muito com esse texto,mas acho que sequer achei a maça, não sei o que me foi tirado, mas não estou 100% bem.
    Não sei bem explicar, não estou mal nem nada, tenho motivação de viver, de prosseguir, mas nada a mais, tudo parece superficial.
    O que falta talvez seja alguém para marcar esse caminho de sementes (fé), que nunca foi presente na minha pessoa, e sei o quão importante é para ti.
    Saudades dos seus textos, que me faz refletir pra caralho.

    ResponderExcluir
  6. Show.

    A vida é um voo rasante e quando aqui, perto do solo perde-se o sentido, ainda existirão os mares e o céu.

    Infinita é a viagem, conforme for a disposição de escrever e viver a história.

    Parabéns pelo texto.

    Rodrigo
    www.artecronicaguda.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Será que volta?Espero que sim...Mas,mesmo assim,espero que essa eternidade não tenha fim.

    Escritor de Brinquedo
    >>EDB2012<<
    http://escritordebrinquedo.blogspot.com.br/2012/05/o-verdadeiro-cristianismo.html

    ResponderExcluir
  8. muito legal uns de meus sonhos é viajar de balão eu adorariakkkkk muito show xau bjss...
    http://dgosaude10.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir