domingo, 9 de novembro de 2014

Silêncio maldito.


Fique silenciada,
com a  alma desolada.
Continue remoendo,
permaneça se doendo.
Silêncio,
trate-se com dispêndio.
Palavras invalidadas,
liberdade surrupiada.
Cale-se,
e mate-se.
Mate-se lentamente,
torturando a sua mente.
Se deixar de dizer,
isso lhe fará morrer.
Aos poucos ruminando,
por dentro detonando.
À ponto de explodir,
e por fim, rescindir.

4 comentários:

  1. É preciso daber perdoar, virar a página, seguir em frente. Viver preso ao que magoou é sofrimento que ninguém merece. Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Não vou calar, meu grito é constante!!!!!!
    perdoar sim, mas esquecer nunca!
    bjus e bom final de semana,querida!
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderExcluir
  3. Existem silêncios ensurdecedores, pra que eles calem de uma vez é preciso tempo, saber absorver o melhor do que se aprende com eles e deixar que o que é ruim permaneça do lado de fora de nós.

    ResponderExcluir