sexta-feira, 12 de abril de 2013

Expressando opiniões.

 

     Na sociedade contemporânea uma palavra em destaque é a tal da alienação. É gente apontando os alienados pra cá, gente apontando os alienados pra lá e a banalização começa a correr solta.
     Sim, há vários conceitos em áreas distintas do conhecimento para designar o que é a alienação. Mas, o meu enfoque aqui será a alienação sendo definida pela Filosofia.
     Segundo Marilena Chauí, em seu livro Convite à Filosofia, “Alienação é o fenômeno pelo qual os homens criam ou produzem alguma coisa, dão independência a esta criatura como se ela existisse por si mesma e em si mesma, deixam-se governar por ela como se ela tivesse poder em si e por si mesma, não se reconhecem na obra que criaram, fazendo-a em ser outro, separado dos homens, superior a eles e com poder sobre eles.”
     Dentro deste contexto, percebe-se que o homem criou a sociedade atual, tal como ela é. O homem “escolheu” o capitalismo como sistema para nos reger. Isto implicou na concentração de renda, beneficiando uma minoria, enquanto os demais tornaram-se miseráveis, frente à opulência dos mais favorecidos.
     Como consequência, a exploração logo se iniciou.  Exploração, primeiramente, baseada nos proprietários de terra sobre os trabalhadores. Porém, a partir do lucro gerado pelas práticas exploratórias, com o tempo passou a existir um domínio sobre a sociedade como um todo.
     Um domínio que seguiu simultaneamente o avanço da tecnologia, apoiando-se nesta para manter a exploração. Um domínio que, hoje, encontra-se nas mãos da mídia.
     Pois bem, chegando neste ponto, expressarei a minha opinião, sobre o assunto. A verdade é que estamos no sistema e acredito que não há nenhuma maneira de ir totalmente contra ele. Até porque se fôssemos totalmente contra o capitalismo não compraríamos nada, nem mesmo os suprimentos básicos, para a nossa sobrevivência.
     É claro que existem formas de lutar contra a exploração e a dominação de uma classe pela outra. Mas não em sua totalidade.
     Estar neste sistema vigente tornou-se algo intrínseco à sociedade, desde que o capitalismo foi adotado. As características capitalistas são transmitidas de geração em geração, e ao nascer, já somos submetidos às suas regras.
     Paralelamente à impotência perante ao capitalismo, também está a impotência perante à alienação.
     Praticamente tudo que nos rodeia está voltado para a alienação, de uma forma ou de outra. Não há como você se libertar totalmente da alienação que o mundo te propõe todos os dias.
     E então, vejo, pessoas que um dia, por exemplo, assistiram BBB, e hoje aplicam críticas ferrenhas, alegando que quem assiste é alienado. Paro e reflito: será que não são eles é que estão alienados, por pensarem como a maioria atual, e se rebelarem contra o programa? A alienação talvez não seja proporcionada apenas pelos meios de comunicação, embora eles sejam os pioneiros e a principal fonte da mesma.
     Acredito que tenho uma noção do que é ser alienado, dos paradoxos sociais, dos problemas governamentais, do que assola e prejudica a sociedade do século XXI. Contudo, não vejo problema, em ter alguns dos meus momentos de lazer assistindo a uma novela, entrando nas redes sociais, participando de um fã clube (falarei sobre este assunto, em uma outra postagem), como também, lendo um livro, escrevendo poesias e afins.
      Penso que o ato de às vezes assistir a TV, à programação, seja da Rede Globo, do Sbt, ou de outras emissoras, não me caracteriza como uma pessoa totalmente alienada, que não se importa com nada e perde seu tempo assistindo tais programas rotulados. É claro que há certa parte de alienação,  porque como eu disse, acredito que ninguém está imune, no entanto, isso não inibe a minha luta por um mundo melhor.
      Tenho consciência do que tentam passar ao telespectador, querendo manipula-lo, mas cabe àquele que assiste, filtrar as informações, reelabora-las, reaproveita-las e questiona-las de forma ativa.
 
Obs: O texto é baseado na minha visão de mundo. Não estou apontando nada, acusando ninguém, nem defendendo um programa ou outro. Apenas citei exemplos  coerentes ao tema exposto.

6 comentários:

  1. B., mais um texto de grande qualidade. Dá muito gosto de ler o teu blog, de verdade.

    Penso muito parecido contigo. A grande questão realmente é: a pessoa que consome determinados produtos, tem a consciência do que representa aquilo que ela está consumindo? É basicamente isso.

    O consumo "inconsciente" é que preocupa. E, na minha ótica, é isso o que acaba por caracterizar a alienação. É o processamento da informação, ou do produto, ser dado de forma, de maneira alheia ao indivíduo que o está consumindo. O que não é o teu caso. E, quero crer, não seja o meu também. Até porque também me dou o direito de me "alienar" um pouco, pois excesso de realidade e/ou seriedade simplesmente me enlouqueceria.

    Beijo.
    www.dilemascotidianos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Bom, vamos lá...
    Seu texto é realmente enriquecedor, mas discordo de alguns pontos. Vou citá-los só para você pensar. Aliás, acho que o blog é bom porque n os permite ler outros comentários, consequentemente outras mentes, e com isso expandir a nossa.

    A mídia não é responsável pela alienação. Todas elas tem um posicionamento político. A tão mal falada, mas tããão assiistida Globo, é de Direita, por exemplo. Ou seja, sempre favorecerá os direitos dos ricos. Precisamos escolher qual telejornal mostra o lado que queremos ver, que nos convém. Eu sou de esquerda...
    Saber filtrar o que assiste é FUNDAMENTAL! Na própria Globo, por exemplo, existem programas sensacionais como Profissão Repórter, o próprio Fantástico tem investigações jornalísticas não tendenciosas muito boas... A Globo News é EXCELENTE! Acho até neutra em algumas coisas... Todos os canais puxam sardinha para um lado, sempre foi e sempre será assim. O jornalismo nasceu para defender o povo, para fiscalizar o Poder, você sabia? E mesmo com essa disputa de interesses que existe hoje, ele aind atenta cumprir seu papel. Se não fosse a mídia, que você aponta como culpada, denunciar políticos, desmascarar instituições, nós de nada saberíamos. O mundo contemporâneo NECESSITA da comunicação. Já pensou se os jornalistas entram em greve? Ninguém ia saber. Quem iria notificar?

    Penso que não foi o capitalismo que iniciou a concetração de renda. Pode ter aprofundado, mas desde sempre existiram ricos e pobres. No feudalismo, o senhor feudal e o camponês, lembra?

    Não acredito que o ser humano consiga sobreviver sem um lazer. Ninguém respira cultura 24 horas por dia. Eu, por exemplo, gosto de novelas! Novela é um tipo de literatura. Se hoje os autores apelam, colocam cenas de sexo, enfim, isso é porque o "povão" gosta! Acho errado de nossa parte julgar. O cara que mora no interior do sertão, por exemplo, não tem cinema, teatro, enfim, nada para distrai-lo, e TALVEZ, sem querer esteriotipar muito, nem sabia ler. As novelas além de distrair, servem pra alertar a sociedade -mesmo que de um modo fantasioso- alguns temas. Como o tráfico de pessoas, por exemplo.
    Já imaginou quantas meninas do interior, que assistem a novela, vao ficar mais "espertas", esclarecidas, na verdade, e vao s elivrar de poucas e boas?
    Ah, e quem propicia isso? A mídia!

    E não acho que seja o capitalismo que

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótimo comentário Jéssica! Os pontos que você levantou, realmente devem ser considerados. Acho que me expressei mal, pois neste texto, ressaltei e generalizei os erros da mídia. Mas quero deixar claro, que sim, concordo contigo, os jornalistas são essenciais. É só preciso saber fazer jornalismo e saber entende-lo. E tenho certeza que você como jornalista irá honrar a profissão.
      Nos demais pontos, acredito que seu ponto de vista, foi coerente e me fez refletir sobre o assunto.

      Excluir
  3. Humm, um texto polêmico e cheio de críticas, assim que eu gosto. Concordo com você em alguns pontos e também com a srta do coment acima.

    O que penso é a mídia e o capitalismo não são os culpados, mas sim uma grande parcela das pessoas que os praticam. É claro que tem mídia limpa, tem os programas que visam informar e entreter apenas, mas também tem os que tendem a te manipular e fazer com que você partilhe de sua opinião.
    No capitalismo, a mesma coisa. Ele faz o mundo girar, mas também faz o mundo ser tão desigual. Por que queremos ter mais do que precisamos (e estou me incluindo nisso)? Como a B. disse vem de berço, mas isso pode ser mudado se todos se conscientizarem. E aí, voltamos à mídia, a minha grande raiva dos programas de TV são os salários pagos para os atores e profissionais envolvidos. Por que eles 'tem' que ganhar tanto? Só por que estão na TV? Sim, existem aqueles que ajudam instituições carentes e tal, mas são poucos e é preciso muito mais. Enquanto isso, professores e profissionais da saúde não ganham o merecido. Enquanto não houver uma melhor distribuição de salário, seremos todos alienados.

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  4. Gostei do texto e entendi que a B. não generalizou e sim reforçou alguns pontos de vista. Isto é enriquecer, pois nem todos têm a mesma visão. Assim se debate e discute em alto nível.

    ResponderExcluir
  5. Em suas dissertações, você defende os argumentos de forma tão madura e consciênte que as faz parecer um texto jornalístico ou de grande autoridade! Ser tão profunda e ao mesmo tempo coesa é um dom incrível menina, parabéns! Sobre o tópico debatido, acredito que o verdadeiro alienado é aquele que se prende a certos tipos de informação e meios de comunicação simplesmente porque a "opinião geral" os considera mais "cultos" ou de melhor conteúdo. Vivemos em um mundo onde estar conectado com os mais diversos tipos de cultura (desde a herudita, até a de massa) é essencial para criar senso crítico, adquirir conhecimento geral e porque não, uma visão mais ampla e "liberta" de esterótipos, que nos proporciona uma convivência mais harmoniosa com nossos semelhantes. E o que seria o BBB se não um retrato (verídico ou manipulado) de situações e comportamentos humanos, tão compreensíveis no cotidiano, mas que são desmedidamente criticados quando colocados na TV? Parece que nossa geração, por mais que goze de sua reputação de "era das mentes abertas" ainda guarda um bocado de conservadorismo nestas.

    Beijos =*

    ResponderExcluir