domingo, 7 de janeiro de 2018

Chuva torrencial.


       Chove torrencialmente lá fora, assim como aqui dentro do meu ser. Chuva de emoções ambivalentes, de sofrimento e angústia. Chuva de sentimentos que transbordam em meio a lágrimas reprimidas.  Chuva que não se deixa transparecer, que é disfarçada feito dor interna. Chuva que é percebida apenas pelo meu ego e é maquiada aos olhos alheios. Chuva que, de forma ilusória, demonstra ser sol perante os outros. Sol fictício que faz morada em um sorriso de dentes amarelados. Sol que é escondido pelas nuvens quando o pensamento em você regressa.  Sol que, então, volta a ser chuva a desabar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário