sábado, 26 de julho de 2014

[Parte 1] O portal.


      Eram 3 horas da manhã. Sofia despertara mais uma vez, como toda noite, no momento exato. Estremeceu, quis não abrir os olhos, mas sabia que ela estava lá: a sombra. Colocou o travesseiro sobre o rosto e cobriu-se. Dizia para si mesma: não posso abrir os olhos, não posso!
      Alimentada pelo medo de Sofia, a sombra se aproximara da jovem, emitia gritos infernais e falas demoníacas, atormentando-a. Pavorosa, Sofia não resistia e simplesmente a mirava.
Era uma sombra deformada com olhos famintos e acinzentados, boca escancarada sem dente algum, apenas com um vazio característico e dolorido, ansiando por Sofia.
      Sofia tentava “esquecer” que a sombra estava lá ao pé da sua cama. Tentava pegar no sono novamente, mas jamais conseguia. Com um esforço descomunal, apenas  cerrava os olhos até a sombra voltar para o submundo. Já eram 4:00h, quando o portal entre os dois mundos, finalmente se fechou.
      Há meses essa tortura se instalara naquele quarto onde Sofia morava. A jovem de 21 anos era sozinha na vida. Perdera os pais cedo, assassinados, mas nunca soubera realmente como acontecera o dia fatídico. Vivera em um orfanato até a maioridade.
Ia para a faculdade durante a manhã e trabalhava no período da tarde para se sustentar. A jovem só conversava com o seu amigo Fred, que a ajudava sempre que precisasse.
      Arrumou-se para ir à faculdade, mirou-se no espelho, viu as marcas das suas olheiras tão características e partiu. A jovem ficava refletindo sobre o que deveria fazer, sabia que a situação não poderia continuar daquela maneira. Pensou, repensou e viu que sozinha não resolveria o problema, então decidiu contar para Fred.

4 comentários:

  1. Muito bom o texto!
    E o que Fred disse?
    Coitada, que tremendo susto!Mas temos que temer os vivos, pois os mortos não nos fazem mal, minha mãe sempre disse isso!
    Bjus
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderExcluir
  2. Esta sobra já deu arrepios rsss.
    Esperando a continuação.
    Obrigado pela dica do filme, vou procurar.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Penso que a imaginação pode causar efeitos devastadores sob efeito do medo. Um abraço!

    ResponderExcluir
  4. Isso me soou um pouco os escritos do Stephen King que costuma colocar portais para outras dimensões em seus livros. Um conto instigante e me encheu de curiosidade. Você se supera a cada texto hã! :)

    Beijo B.

    ResponderExcluir