quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

[Parte 3] A trilha.



     A mulher pronunciava a tradução, porém o compartimento permanecia trancado. A partir de um surto de raiva, atirou contra o braço de Paula, a líder do grupo.
     Raul observava exteriormente toda àquela cena. No início do passeio, ele se perdera de seus amigos, retornando à cidade e pedindo ajuda para encontra-los. O quarto elemento era mais experiente e bastante sábio. Cuidadosamente adentrou a gruta, no entanto, foi percebido pelo capanga, que o rendeu ao chão.
     A mulher de cinza o indagava: 
     - Quem é você? O que está fazendo aqui? Como nos encontrou?
     - Não se lembra de mim, Pam? Era bem pequena, quando salvei a humanidade e destruí as ideias de seus pais.
     Atormentada, Pam relembrou seu passado, pegou a sua cunha e apunhalou Raul, nas costas. Mesmo com grande dor, Raul falava lentamente: - Você precisa de mim, Pam. Só eu posso abrir esta caixa.
     Pam puxou o cabelo do quarto elemento e exigiu que ele traduzisse. Raul não tinha saída, então começou a tradução. Passado alguns minutos, a caixa se abriu. Rapidamente a mulher de cinza pegou o talismã que abrangia o interior do compartimento, colocando-o em seu pescoço.
     De repente, Pam transformou-se em uma enorme gata acinzentada, com garras afiadas e olhar maligno. Saltou sobre o grupo dos 4, atingindo-os. Decidiu se livrar de Raul primeiro, devido à debilidade do quarto elemento. Porém, escolheu errado.
     Enquanto preparava o golpe, Raul alcançou o machado dentro de sua mochila e acertou Pam. Todavia, a gata era esperta e ágil demais, para ser derrotada daquela maneira. Ordenou que o capanga atirasse contra Raul. E foi o que aconteceu. A bala ultrapassou o colete do quarto elemento, penetrando por suas costas. Raul ensanguentado, urrava de dor.
     Júnior se libertou das cordas e agarrou a gata, golpeando-a. Pam, voltou à forma humana. Pardo tentou defende-la, mas fora atingido por uma rocha da caverna que desmoronou em sua direção.
     Em poucos segundos a gruta se tornaria uma ruína. Márcia, Paula e Júnior tentavam locomover o quarto elemento que ainda respirava.  Neste instante o policial da região que tinha recebido o pedido de Raul para procurar seus amigos, encontrou o local e algemou os meliantes.
     Todos carregavam o corpo de Raul e corriam para o fim da gruta, antes que a mesma desmoronasse. Alguns minutos depois, o grupo dos 4 estava reunido do lado exterior da caverna, promovendo os cuidados necessários ao quarto elemento.
     Horas mais tarde, retomaram a trilha e por ironia do destino, se depararam com o lago, que por um longo tempo, sonhavam em descobrir.

2 comentários:

  1. Gostei de muito bom gosto.
    Desejo a vc, aos seus seguidores e toda sua família um natal de paz e alegria.

    Dps volto para ler as 3 partes da Trilha e ai comento.

    ResponderExcluir
  2. Muito bacana esse conto! Acho que já devo ter dito isso, mas não custa repetir: tens um talento imenso!

    Prossiga assim, pois teu blog tem muita qualidade!

    Beijos.
    www.dilemascotidianos.blogspot.com

    ResponderExcluir